sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Empresa lança "Guitar Hero" com rock cristão

Quem foi que disse que o diabo é o pai do rock? Para muitos pode ser novidade, mas o rock cristão - católico ou gospel - já tem uma cena forte, dentro e fora do Brasil.

De olho neste nicho de mercado, a empresa americana Digital Praise lançou uma versão do game Guitar Hero só para os fiéis fãs do velho e bom rock n' roll. O 'Guitar Praise' (algo como guitarra glorificada em tradução livre) está disponível para PC e MAC, mas não é associado ao game original.

"Agarre a guitarra e toque junto com as principais bandas cristãs! Debulhe aqueles riffs e destrua o baixo. Você estará tocando com os melhores enquanto glorifica o Senhor!", diz o anúncio no site da Digital Praise.

O set list inclui bandas como Bride, Spoken e Whitecross.

O game será vendido nos Estados Unidos a partir do mês de novembro e custará 99 dolares, com uma versão da guitarra inclusa.

Retirado de Yahoo Notícias

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Veterano de guerra se converte e é morto após espancamento

IRÃ - Um casal cristão iraniano com cerca de 60 anos de idade morreu depois que a polícia secreta invadiu o culto em uma igreja doméstica realizado na casa deles, em Isfahan, e os espancou violentamente. Abbas Amiri era um herói de guerra e um ex-muçulmano devoto. A esposa dele, Sakineh Rahnama, também não resistiu aos ferimentos.

A polícia bateu e prendeu Abbas Amiri no dia 17 de julho, junto com outros sete homens, além de seis mulheres e dois menores que estavam assistindo ao culto. O anfitrião morreu em um hospital no dia 30 de julho em decorrência dos ferimentos causados pelo espancamento. A esposa dele, Sakineh Rahnama, morreu no domingo, 3 de agosto.

A violência praticada contra Amiri se intensificou depois que os policiais descobriram que antes dele ter se tornado cristão ele tinha levado um grupo de peregrinos para Meca, uma prática requerida a todos os muçulmanos devotos pelo menos uma vez na vida.

De acordo com a Rede de Notícias Cristã Farsi (FCNN, sigla em inglês), ele também foi um veterano da Guerra Irã-Iraque e era uma fonte de orgulho nacional iraniano. Por isso a conversão dele enfureceu ainda mais a polícia. Todas as pessoas que estavam na casa dele, incluindo dois menores, foram presas.

Três dias antes da morte dele, Abbas Amiri foi transferido para o Hospital de Sharieti, em Isfahan. Membros da família que o viram disseram que o tórax dele foi severamente afundado e acreditam que essa tenha sido a causa da morte dele.

Abbas Amiri foi enterrado no dia seguinte à morte dele em um cemitério em sua cidade natal, Masjid-Soleiman, localizado perto da fronteira do Irã e Iraque, no dia 31 de julho.

Muitos amigos assistiram ao funeral, entretanto, os funcionários de segurança tentaram evitar a ida de pessoas para prestar condolências.

Funeral proibido

No domingo seguinte, no dia 3 de agosto, a esposa dele, Sakineh Rahnama, morreu e a polícia secreta da localidade de Masjid-Soleiman pôs a casa da família sob vigilância.

Policiais ordenaram que a família não realizasse nenhuma cerimônia fúnebre e que os familiares deixassem a cidade imediatamente. O filho do casal gritou então aos oficiais de segurança e acabou levando uma surra.

A detenção e episódios de violência contra os cristãos iranianos se intensificaram nas últimas semanas. Doze cristãos que viajavam para a Armênia por Teerã foram presos no dia 12 de julho no aeroporto de Kerman. Dois cristãos recém-convertidos foram encarcerados durante dois meses em Shiraz, um deles é diabético e está em um estado de saúde crítico.

Em fevereiro, o parlamento iraniano propôs a mudança no Código Penal na qual pode passar a exigir a pena de morte para quem deixar o islã. Pela lei iraniana atual, a "apostasia" é considerada uma ofensa importante, mas o castigo é deixado à revelia do juiz.

(Fonte: Portas Abertas)

Nove entre dez argentinos acredita em Deus, mostra pesquisa

Num grupo de dez argentinos, apenas um não acredita em Deus. Dentre os nove crentes, sete são católicos, um é evangélico, e o último pode ser judeu, islâmico, espírita ou de outro credo.

Os dados foram revelados pela primeira pesquisa sobre crenças e atitudes religiosas na Argentina, realizada pelo Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (Conicet) em parceria com quatro universidades nacionais. Foram ouvidas 2.403 pessoas maiores de 18 em todo o país.

O diretor do trabalho e pesquisador do Conicet, sociólogo Fortunato Mallimaci, apresentou ontem os resultados preliminares que confirmam a condição de crente da grande maioria dos argentinos.

Os dados também indicam que 23% dos residentes no país freqüentam com regularidade espaços de culto, 76% da população são católicos. Indiferentes, agnósticos, ateus ou sem religião totalizam 11%.

Jesus Cristo lidera o ranking de crenças, seguido pelo Espírito Santo e a Virgem Maria. Do total de entrevistados, 92% disseram acreditar no homem que foi crucificado em Jerusalém 2000 anos atrás; 85% acreditam no Espírito Santo e 80% na Virgem. A lista segue com anjos (78%), santos (76%), "energia" (64%) e curandeiros (39%).

A pesquisa foi realizada através do preenchimento de formulários domiciliares segundo método probabilístico que, em termos sociológicos, assegura um nível de credibilidade de 95% e uma margem de erro de 2%. A pesquisa foi realizada "com o maior rigor científico e a melhor boa fé", disse o secretário de Culto, Guillermo Oliveri.

Mais de 75% dos argentinos afirmaram freqüentar pouco, ou nunca, os lugares de culto. Outros 23,8% participam com freqüência cerimônias de culto, enquanto 26.8% disseram nunca assistir a cerimônias religiosas.

A pesquisa é fruto do trabalho conjunto do CEIL, do Conicet, e das universidades nacionais de Buenos Aires, Rosário, Cuyo e Santiago del Estero. Contou com o financiamento da Agência Nacional de Promoção Científica e Tecnológica, englobando um projeto de investigação que se propõe a analisar as relações entre religião e a estrutura social na Argentina do século XXI.

Depois de quase quatro décadas sem medições científicas em nível nacional, o estudo do Conicet quita uma velha dívida argentina. "Desde o censo nacional de 1960 não se perguntava a crença e o pertencimento religioso. Somos o único país da América Latina que não tem este dado", afirmou Mallimaci ao apresentar os resultados preliminares da investigação, que terminará dentro de três anos.

Até o momento, os únicos dados sobre crenças e atitudes religiosas da sociedade argentina em nível nacional tinham sido recolhidos no censo de 1960, quando 90% dos entrevistados se declararam católicos.

A pesquisa revelou que, geralmente, recorre-se a Deus nos momentos de dor, sendo que 45% dos entrevistados confirmaram essa tendência.

O noroeste argentino corresponde à região mais católica do país. O sul é a região mais evangélica, enquanto o entorno da cidade de Buenos Aires a mais indiferente para o religioso.

O sociólogo indicou, como exemplo, que enquanto 11% das pessoas entrevistadas dizem não crer, 95% foram batizados. A taxa de casamentos religiosos é significativamente menor do que a de batismo: quem se afasta da religião deixa de praticá-la.

O estudo também pesquisou as opiniões dos entrevistados a respeito de questões controvertidas como aborto, educação sexual em sala de aula, uso de anticonceptivos e sacerdócio de mulheres.

Dentre os entrevistados, 63% opinaram que o aborto deve ser permitido apenas em circunstâncias específicas, tais como violação, perigo de morte da mulher ou má formação do feto.

Mallimaci destacou que 68% dos que assim opinaram são católicos e deduziu que os resultados "revelam uma autonomia de consciência e decisão e uma tomada de distância dos postulados doutrinários das instituições religiosas". No entanto, a resposta eleita pela maioria coincide com a posição das autoridades da Igreja sobre a legislação do aborto.

Quase 60% pensam que aos curas deveria ser permitido formar uma família.

"Estamos diante de complexos processos de desinstitucionalização religiosa e de individualização das crenças", revelou a pesquisa, dando como dados que 61% dos entrevistados se relacionam com Deus "por conta própria", sem a intervenção de instituições religiosas. Dentre aqueles que se relacionam com Deus por intermédio de uma instituição eclesial, 44% são evangélicos.

Retirado de: O verbo.com

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Extremistas conclamam o povo a destruir lugares de culto cristãos

portas_abertas ÍNDIA - Segundo a agência de notícias “AsiaNews”, desde a manhã do último domingo (24), milhares de hinduístas, ligados ao grupo militar Vishwa Hindu Parishad, estão engajados em ações violentas contra os cristãos, arrasando igrejas e capelas para vingar o assassinato do seu líder, Swami Laxanananda Saraspati, ocorrido no sábado.

Os movimentos radicais hinduístas acusaram a parte cristã da população de ter organizado o homicídio do líder fundamentalista e conclamam a multidão a destruir os lugares de culto da comunidade cristã.

A organização de Laxanananda é famosa pela sua oposição ao compromisso dos cristãos e culpa bispos, sacerdotes e irmãs de proselitismo. A zona desses conflitos é o distrito de Kandhamal, onde em dezembro passado três cristãos perderam a vida e mais de 90 igrejas, entre protestantes e católicas, foram incendiadas.

Ontem, a polícia indiana informou que supostos extremistas hindus atearam fogo em um orfanato dirigido por missionários cristãos no leste da Índia, matando uma freira e ferindo gravemente um padre. O superintendente de polícia Ashok Biswal disse que o ataque ocorreu na localidade de Khuntapali, no Estado indiano de Orissa.

Já houve ataques de extremistas hindus contra missionários cristãos em Orissa no passado. Em 1999, o missionário australiano Graham Staines e dois filhos dele foram mortos por uma multidão que ateou fogo no carro em que estavam.

Pedidos de oração:

- Ore contra esta ofensiva do inimigo. Que todos os boatos e mentiras que culpam os cristãos pela morte de um extremista sejam desfeitos e a verdade prevaleça.

- Ore contra essa onda de violência e degradação de orfanatos, igrejas e escolas cristãs. E peça para que o Senhor dê aos cristãos perseguidos a força e o amor necessários para suportar os sofrimentos sem revidar.

Fonte: Missão Portas Abertas
www.portasbertas.org.br

Atleta brasileira de taekwondo admira Filhos do Homem

natalia2 A lutadora Natália Falavigna, que conquistou a medalha de bronze nos Jogos de Pequim - a primeira medalha olímpica do taekwondo brasileiro -, gosta de ouvir música gospel.

A atleta revelou, também, que costuma fazer uma oração antes de entrar na arena de competição. "Na área de aquecimento prefiro ouvir gospel, em vez de escutar os outros competidores chutando raquete'', afirmou.

Entre as preferências da atleta nesse estilo musical estão as bandas Hillsong United e Filhos do Homem. O Ministério Filhos do Homem assinou contrato com MK Music em março deste ano e se prepara para lançar em breve o seu primeiro CD pela gravadora.

Fonte: MK Music

Médicos são condenados porque mantiveram convicção religiosa

portas_abertas ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA  - Os direitos à liberdade religiosa dos cidadãos da Califórnia foram esmigalhados no último dia 18 de agosto depois de uma decisão legal em favor dos homossexuais e contra a consciência cristã, baseada em leis semelhantes àquelas que se tentam aprovar no Brasil por meio dos projetos de lei 122/06 e 6418/2005 .

O Supremo Tribunal da Califórnia decidiu contra dois médicos cristãos que se recusaram a realizar uma inseminação artificial em uma lésbica por causa das convicções religiosas deles. Os doutores recomendaram um outro especialista à mulher, mas ela decidiu processá-los alegando discriminação de orientação sexual.
O Tribunal entendeu que os médicos violaram o Ato de Direitos da Califórnia, que proíbe a discriminação fundamentada na orientação sexual de uma pessoa.

Além disso, o Tribunal considerou que a Primeira Emenda da Constituição norte-americana não alcança os médicos, uma vez que entendeu que uma “lei neutra e válida, de aplicabilidade geral, não pode ter uma interpretação complacente por causa de credos religiosos”.

Implicações diretas desta decisão na vida dos cristãos

A decisão foi considerada um balde de água fria em todas as pessoas de fé na Califórnia. Os cristãos que trabalham na organização e realização de casamentos serão forçados a fazer casamentos homossexuais, advogados serão forçados a ajudar homossexuais em adoções de crianças, divórcios do mesmo sexo e pedidos de pensão.

Outros profissionais serão forçados a deixarem de lado suas convicções religiosas sob o risco de serem acusados e presos por discriminação.

Isso porque a decisão do Tribunal americano abriu caminho para que profissionais de outras áreas também não possam mais negar quaisquer tipos de serviços por causa de suas conviccões religiosas.

No Brasil

No Brasil, se o PL 122/06 for aprovado, a pena prevista por discriminação varia de um a cinco anos de prisão, além de multa.

"Achamos que o problema da discriminação não atinge só os homossexuais, mas também os negros, as mulheres, até mesmo nós evangélicos. O projeto de lei dá poderes ditatoriais a uma minoria. Se um funcionário for dispensado de uma empresa, por exemplo, pode alegar homofobia e o dono da empresa vai ser preso por crime hediondo, inafiançável. Queremos trazer um projeto para proteger todas as minorias", disse o deputado Rodovalho (DEM-DF), da Igreja Sara Nossa Terra, em junho, durante manifestação contra o PL 122/06 no Congresso Nacional.

Fonte: Missão portas Abertas
www.portasabertas.org.br

Conheça a banda de Trash Metal Cristão: Arnion

São 11 onze faixas dedicadas a um puro Thrash Metal influenciado pelas décadas de 80 e 90 e ainda letras relacionadas ao Cristianismo, ideologia e estilo de vida de todos os músicos. Deixando as crenças um pouco de lado, o novo material vem para dar mais gás na seqüência de cinco anos de estrada, que já rendeu aos goianos a demo independente "Refuge".

Mas o novo trabalho é a aposta oficial do Arnion, que a exemplo de muitos grupos acabam sofrendo com inúmeras alterações no line-up, tanto que o vocalista Pedro Neto se desligou da banda enquanto o disco ainda era produzido. Mas o ex-membro está firme em todas as faixas contidas em "Fall like Rain", que ainda conta com os músicos Rinaldo Macedo (Guitarra), Rogério Paulo (Bateria) e Léo Araújo (Baixo).

Dono de um instrumental encorpado, o material se inicia com uma simples intro, que abre as portas para 'Visions from Hell' mostrar o quanto à banda se inspira em um thrash direto e ao mesmo tempo moderno. Em 'Zombies', chamativas passagens proporcionada pela vontade de executar uma canção pesada e bem trabalhada! Vários riffs incendeiam a faixa, que ainda conta com um vibrante acompanhamento do baterista Rogério Paulo.

Mas legal mesmo é o início de 'Get ready for the war', que une baixo e bateria de forma eletrizante para que só após entrasse a distorcida guitarra de Rinaldo Macedo. Os goianos parecem não abrir mão de um grande trabalho instrumental em todas as faixas. O disco é um verdadeiro amontoado de características vinculadas ao thrash. A linha de vocais de Pedro Neto mesmo sendo simples e variando entre linhas limpas e outras mais agressivas, se encaixa bem ao instrumental do grupo, que parece sofrer influências de Metallica, Megadeth, além de outros ícones mundiais.

Nas faixas 'Fall like Rain' e 'Regreat be healed' não faltam provas disto, ambas são uma das mais pesadas do material. Com furiosos riffs de abertura, repetitivas (não cansativas) linhas de pedais duplos e ainda alguns solos, tudo coberto por um fator que pode contribuir muito em 'Fall like Rain': a produção e mixagem. Nesse quesito, uma grande carta na manga dos goianos! A sétima canção continua seguindo os padrões de sonoridade do grupo, apenas o que se alterou na faixa 'Manipulação S.A' foi o idioma. A letra em português evidencia o cristianismo, tema abordado em todo o material.

Mesmo não apresentando um trabalho fortemente inovador, a banda tem algumas peculiaridades e características que podem soar como pontos positivos para a jornada do Arnion. Por exemplo, em 'Obtenetration', momentos que priorizam bases velozes unidos a riffs trabalhados, evidenciando boa quantia de técnica nas veias dos músicos. O grupo usa de suas artimanhas na dose certa, tanto que em 'Human Holocaust' a velocidade demonstrada nas faixas anteriores, agora é deixada de lado .

E parece que valeu à pena, a nona faixa agrada devido ao bom trabalho vindo das guitarras e ainda das notas graves do baixo de Léo Araújo, que aparecem como nunca. Aliás, vale ressaltar que a "cozinha" é muito bem definida por aqui.

Muito se fala que a primeira impressão é a que fica, então, parece que o grupo resolve encerrar o álbum com o de melhor que tem em mãos. Após uma espécie de intro batizada de 'Renascitur ex Cineribus', aparece a versátil e excelente 'Whitened Graves'. Trata-se de seis minutos de pura agitação, criatividade em alta e ainda participação inspirada do quarteto. Faixa que merece bastante atenção!

Conforme dito, o disco não traz grandes ares de inovação ou algum outro fator que possa ser encarado como um grande diferencial em termos de sonoridade. Mas o que importa? O objetivo parece ter sido alcançado nas onze faixas de 'Fall like Rain', canções evidenciadas pela essência do thrash e a impressão que o caminho trilhado parece ter sido o correto.

Fonte Silent Music Records

terça-feira, 26 de agosto de 2008

China: Manifestações de boa vontade contrastam com atitudes

CHINA - Os Jogos Olímpicos terminaram. As tentativas de evidenciar a liberdade religiosa, o que inclui os esforços da China no sentido de prover Bíblias para os atletas e cultos nas igrejas oficiais para os visitantes, contrastaram totalmente com as políticas adotadas contra cristãos e ativistas defensores da liberdade de expressão.

A China contratou clérigos para realizarem cultos e publicou uma edição bilíngüe especial da Bíblia para distribuir aos atletas e funcionários de igrejas durante o evento, numa tentativa de mostrar que são abertos aos religiosos.

Só que simultaneamente, os oficiais do governo "perguntaram" aos líderes de igrejas domésticas de Pequim (ou Beijing) se eles gostariam de assinar documentos declarando que concordavam em não realizar cultos e reuniões durante os Jogos, segundo informações da Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês).

Debaixo deste acordo, as igrejas domésticas foram proibidas de se reunirem no período de 15 de julho a 15 de outubro, num total de 17 semanas. Os que quebrassem o acordo enfrentariam ação disciplinar.

O texto do acordo perguntava se aquelas igrejas domésticas "iriam refrear a organização de reuniões ilegais e o recebimento de doações, bem como a realização de sermões e pregação de grupos religiosos com estrangeiros".

Funcionários também contrataram os clérigos religiosos das cinco religiões aprovadas e sancionadas pelo governo para realizarem cultos a atletas e turistas durante os Jogos. Os cinco grupos são os budistas, taoístas, muçulmanos, protestantes e católicos. Cada um responde a uma instituição religiosa específica que foi designada para vigiar as atividades deles.

Mas a China já planeja uma sanção severa e nova aos "elementos problemáticos", incluindo líderes de igrejas domésticas, durante o mês de outubro - quando a maioria dos atletas Olímpicos, turistas e jornalistas terão deixado definitivamente o país.

A Sociedade Bíblica imprimiu uma edição especial de 30 mil unidades da Bíblia bilíngüe completa e 10 mil Novos Testamentos para serem distribuídos na Aldeia Olímpica e a igrejas registradas nas cidades em que ocorreram provas esportivas, segundo informou em junho a agência de notícias católica. A Amity Press é a única editora aprovada na China para publicar Bíblias. Só que o povo chinês continuou sem o livre acesso às Escrituras.

Perseguição a católicos e evangélicos

A União de Notícias Asiáticas Católicas confirmou em um relato no dia 7 de agosto que os funcionários tinham proibido bispos e padres de igrejas católicas não-registradas de administrar sacramentos ou fazer trabalho pastoral durante os Jogos.

Funcionários colocaram vários bispos da igreja clandestina em prisão domiciliar e lhes proibiram que contatassem os padres deles. Na aldeia de Wuqiu, município de Jinxian, Hebei, a polícia ergueu uma pequena guarita em frente à catedral presidida pelo bispo Julius Jia Zhiguo para poder monitorá-lo mais facilmente durante as 24 horas do dia.

Além disso, o bispo Joseph Wei Jingyi, de Qiqihar, no nordeste da China, recebeu telefonemas de funcionários do governo perguntando se ele planejava realizar algum encontro religioso durante os Jogos Olímpicos. Wei disse que ele ficaria em casa e rezaria para o sucesso dos Jogos. Antes da Olimpíada, a polícia proibiu vários cristãos de se encontrarem com visitantes dos Estados Unidos. Funcionários do governo pediram a outros americanos que deixassem a capital durante o evento.

Em julho, a polícia exigiu repetidamente que o pastor Zhang Mingxuan e a esposa dele Xie Fenlang deixassem Pequim. Ele foi detido pela polícia chinesa depois que jornalistas da BBC tentaram entrevistá-lo na segunda-feira, dia 4 de agosto. Juntamente com ele estavam sua esposa Xie Fenglang e o co-pastor Wu Jiang He.

Zonas de protesto foram uma farsa

A liberdade de expressão foi mais um simulacro. A China definiu três zonas para a realização de protestos olímpicos, mas embargou todos os pedidos de autorização (77 candidaturas) para manifestações durante os Jogos, silenciando qualquer voz dissidente que prejudicasse "os interesses nacionais".

Alguns dos ativistas que cumpriram a lei chinesa e apresentaram pedidos para a realização de protestos, estão presos e outros sob vigilância. Duas senhoras com mais de 70 anos que queriam protestar foram presas e condenadas a ir para um campo de trabalhos forçados. Posteriormente, por causa da forte pressão internacional, elas receberam uma pena mais branda: a prisão domiciliar.

Antes de se candidatar a ser sede dos Jogos Olímpicos, a China se comprometeu em melhorar os direitos humanos e a conceder liberdade para os jornalistas que fossem ao país, mas isso também não se confirmou.

A ONG Repórteres Sem Fronteiras acusou o governo chinês de "cinismo", e o Comitê Olímpico Internacional (COI) de inoperante, por não ter conseguido fazer com que Pequim respeitasse o espírito olímpico.


Fonte: Portas Abertas

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Medalhas de ouro para atletas envolvidas com a fé

CHINA - A lançadora de discos norte-americana Stephanie Brown Trafton e a remadora Anne Cummins não se esqueceram de seu papel como evangelistas na Vila Olímpica e mesmo dedicando suas horas livres para falar de Jesus ainda receberam medalhas de ouro na Olimpíada de Pequim (ou Beijing), cada uma em sua modalidade.

Stephanie Trafton conduziu estudos bíblicos na Vila Olímpica e no dia 18 de agosto lançou o seu primeiro disco, dentre os seis lançamentos permitidos, a uma distância de 64.74 metros. Foi campeã na primeira tentativa e obteve a sua primeira medalha de ouro em uma competição de nível internacional.

“Jesus é quem está fazendo o impossível em minha vida", disse ela antes de competir. "Se for da vontade de Deus eu realizarei a minha meta de ganhar uma medalha Olímpica.”


Stephanie Trafton

E foi mesmo. A atleta de Cuba, Yarelys Barrio, levou a prata com um lançamento de 63.64 metros. O ouro de Stephanie Trafton foi o primeiro dos EUA na modalidade desde 1932, quando Lillian Copeland conquistou a medalha nos Jogos Olímpicos de Los Angeles.

"Eu acredito agora que posso fazer as coisas que Ele colocou em meu caminho ao mesmo tempo em que olho para o Senhor e busco forças”, disse a atleta. “O resultado dessa temporada esteve totalmente fora do meu controle direto, sei o que eu posso, contanto que eu seja disciplinada e foi uma surpresa", explicou ela.

Remando nas águas do Espírito

Anne Cummins (foto), a pastora de jovens que ajudou Stephanie Trafton a se aproximar de Jesus, faz parte da equipe feminina de remo dos Estados Unidos e conquistou a medalha de ouro na prova dos oito. Ela e as colegas de equipe fecharam o tempo em 6:05.34, quase dois segundos mais rápido que a equipe feminina da Holanda, que ficou com a prata.

A atleta carrega consigo a certeza de que há um propósito de Deus para ela estar no esporte, algo que ela realmente ama, e que dá a ela a oportunidade de ser um veiculo Dele aonde quer que ela vá.

“Deus me dá valor e sei que não posso ganhar isso só por remar, sinto que por causa da vida com Ele sou menos propensa a sentir os altos e baixos das minhas performances sem me abalar", disse Anne Cummins.

"Deus é o meu maior fã. Ele sempre me amará não importa o que eu faça. E Ele tem grandes e árduas expectativas para mim, quer que busquemos a excelência, por isso eu sempre estou tentando melhorar."

(Fonte: Portas Abertas)

Governo promete julgar cristãos, depois do fim da Olimpíada

portas_abertas Na província de Shandong, dois integrantes da equipe do seminário de uma igreja não-registrada, na cidade de Weifang, esperam pelo julgamento por “práticas ilegais de negócios”, depois de supostamente tentarem comprar Bíblias da Amity Press, editora oficial da China autorizada a imprimir Bíblias. O curioso é que os acusados foram detidos sob outras alegações.

Segundo as autoridades locais, o governo só aguarda o término dos Jogos Olímpicos para levá-los a julgamento. Ore por justiça.

Em 20 de maio, a polícia deteve por pouco tempo a professora Jin Xiuxiang, antes de pedir para que ela voltasse para casa. Em 29 de maio, a polícia e autoridades do Departamento de Administração de Assuntos Religiosos invadiram o seminário onde ela trabalhava, prenderam Jin e outro professor, Zhang Yage, junto com o diretor Lu Zhaojun por ter “uma escola sem licença”.

Na ocasião também foram confiscados os pertences do seminário, incluindo Bíblias e outros tipos de literatura cristã, uma minivan e um cartão de banco, de acordo com a Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês).

Acusação muda subitamente

Todos os três foram libertados em 28 de maio, depois de a CAA relatar a batida policial no seminário. No entanto, quando Lu e Jin retornaram ao distrito policial em 2 de junho para perguntar sobre os bens confiscados, os oficiais os detiveram de novo e os sentenciaram a um mês de detenção criminal por “operação de negócios ilegais”. Os bens não foram devolvidos.

As autoridades, a seguir, libertaram Lu e Jin, em 12 de julho, com o pagamento da fiança, informando-os que seriam julgados após os Jogos Olímpicos. Fontes da agência de notícias Compass confirmaram que Lu e Jin estão sob vigilância.

Retirado de Missão Portas Abertas
www.portasabertas.org.br

Irã suspende pena de morte por apedrejamento

Portas Abertas A Justiça do Irã anunciou a suspensão das condenações à morte por apedrejamento, o que significa também uma vitória para os cristãos, visto que havia a possibilidade de o Código Penal do Irã prever esse tipo de pena para quem deixasse a religião muçulmana e se convertesse ao cristianismo.

O país vinha sofrendo pressão internacional para abolir a prática, usada principalmente para punir o adultério e outros atos de natureza sexual considerados crime no país.

As críticas vinham aumentando desde o mês passado, quando oito mulheres e um homem foram sentenciados à morte por apedrejamento.

De acordo com o Código Penal Iraniano, homens condenados por adultério devem ser enterrados até a cintura antes de serem apedrejados. As mulheres são enterradas até a altura do peito. As pedras não devem ser grandes o suficiente para matar a pessoa de forma instantânea. O sofrimento é fundamental nesse tipo de pena.

Chicotadas

De acordo com a porta-voz do judiciário iraniano, Alireza Jamshidi, quatro dos nove condenados devem agora cumprir sentença na prisão ou receber chicotadas.

As penas alternativas a serem aplicadas aos outros cinco iranianos que estavam condenados ao apedrejamento ainda estão sendo estudadas, disse Alireza Jamshidi.

De acordo com o correspondente da BBC em Teerã, Jon Leyne, apesar de prevista na lei, a condenação por apedrejamento à morte vinha sendo praticada raramente desde 2002.

O último caso que se tem notícia é de um homem que foi apedrejado até a morte em julho de 2007. Sua companheira, que havia recebido a mesma sentença e passado 11 anos na prisão, foi solta em março de 2008.

Em teoria, a morte por apedrejamento se aplicava a homens e mulheres, mas as advogadas dizem que, na prática, muito mais mulheres do que homens recebiam a punição porque em geral são menos instruídas e mal representadas nos tribunais.

Retirado de Missão Portas Abertas
www.portasabertas.org.br

Silas Malafaia será responsável pelas madrugadas da Band

Aproveitando esse grande espaço, o pastor Silas dará oportunidade a vários pastores para que preguem mensagens edificantes e, assim, ganhem almas para o Reino de Deus.

“Por vontade do Senhor, e não tenho outra explicação para dar, a partir do dia 1º de setembro, toda a madrugada da Rede Bandeirantes será de nossa responsabilidade. O que nos impressiona nisso tudo é que fizeram ofertas milionárias por este horário, mas o dono da Rede Bandeirantes não aceitou nenhuma das propostas. Mandou chamar-me e ofereceu-me o espaço por 1/3 do que estavam propondo à emissora”.

Essas foram algumas das palavras do pastor Silas Malafaia ao falar de mais uma bênção que Deus o concedeu. Por conta do novo horário, o programa Vitória em Cristo terá mais tempo de exibição. Aproveitando esse grande espaço, o pastor Silas dará oportunidade a vários pastores para que preguem mensagens edificantes e, assim, ganhem almas para o Reino de Deus.

Anote aí os novos horários na Band:

De segunda a sexta - de 2h00 às 7h00 da manhã

Sábado e domingo – de 4h00 às 7h00 da manhã

sábado, 23 de agosto de 2008

Dois homens recebem pedradas por crerem em Jesus

ETIÓPIA - Um grupo de extremistas islâmicos apedrejou Seid Ahmed e Musa Ibrahim (nomes trocados por motivos de segurança) em Jijiga, uma cidade na fronteira com a Somália porque acreditam em Jesus Cristo. Esse foi o mais recente ataque contra os cristãos da Etiópia, país onde a expansão do radicalismo islâmico está motivando uma perseguição crescente aos cristãos.

De acordo com a International Christian Concern (ICC), Seid Ahmede e Musa Ibrahim iam para uma igreja no dia 19 de julho quando foram confrontados por nove extremistas muçulmanos que gritavam slogans anticristãos. Os extremistas arremessaram pedras nos dois cristãos.

Seid Ahmed, que é um líder de igreja, recebeu oito pedradas, sofreu um choque severo e danos no torso. Ele deu entrada no Hospital de Karamara.

Musa Ibrahim não teve danos físicos porque conseguiu fugiu do local para chamar a polícia. O grupo só foi dispersado quando Ibrahim correu em direção à delegacia de polícia local.

Mas os policiais, ao chegarem, não fizeram nada para interromper o ataque.

Jijiga é uma cidade importante do Estado regional somali, que é um dos nove Estados da Etiópia. A maioria dos residentes do Estado somali é de somalis étnicos muçulmanos.

Livramento

De acordo com a ICC, esta não é a primeira vez que os cristãos foram atacados em Jijiga. No dia 5 de agosto de 2007, a Igreja de Evangelho Pleno em Jijiga foi bombardeada.

Embora a igreja tivesse no momento com 500 pessoas, nenhuma delas foi ferida pela explosão. A mesma igreja já havia sido atacada cinco anos atrás.

O gerente regional da ICC para a África, Jonathan Racho, disse: "A menos que o crescimento do radicalismo islâmico na Etiópia seja contido, os ataques contra os cristãos continuarão aumentando. Funcionários do governo etíopes, particularmente os que trabalham em locais dominados por muçulmanos, deveriam ser responsabilizados por não protegerem os cristãos de tais ataques."

(Fonte: Portas Abertas)

Chip sob a pele vira medida anti-seqüestro

Pequenos chips capazes de revelar a localização de uma pessoa fazem sucesso em países com muitos seqüestros.

A companhia mexicana Xega revelou, este mês, vendas recordes de seu chip anti-seqüestro. A tecnologia usa um pequeno chip, do tamanho de um grão de arroz, que pode ser implantado debaixo da pele dos clientes, em regiões como antebraço, costas ou pernas.

O microchip tem a capacidade de enviar informações para satélites dizendo a localização dos usuários. O recurso é especialmente útil para ricos que vivem em países com altas taxas de seqüestros, como o Iraque, a Colômbia ou o México.

Instalar o chip no corpo custa US$ 4 mil ao usuário, além do pagamento de taxas anuais de US$ 2,2 mil. O chip tem algumas limitações, como não conseguir contato com os satélites quando a pessoa está numa área subterrânea ou debaixo de um teto muito espesso.

Mesmo assim, as informações geradas pelo microchip podem ser utilíssimas numa investigação policial. Permitem ver, por exemplo, o histórico de deslocamento da pessoa até que seu sinal seja “perdido” ou emitir alertas quando um usuário entra numa zona suspeita ou de risco.

Além de uso contra a criminalidade, a tecnologia de microchips sob a pele pode ser útil em tratamentos médicos, como controlar os deslocamentos de uma pessoa que tenha problemas de memória ou idosos que precisem de atenção constante.

A Xega, empresa desenvolvedora do microchip, diz que além de seu país de origem, tem planos de explorar seu produto em outros dois mercados com elevados índices de seqüestro: a Colômbia e o Brasil.

(Fonte: Info)

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Só hospital universitário está equipado para mudança de sexo, diz médico

Complexidade da cirurgia exige equipe multidisciplinar e acompanhamento psiquiátrico. Pacientes operados têm de ser seguidos durante toda a vida, segundo especialista.

A incorporação da cirurgia de mudança de sexo aos procedimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) não deve mudar significativamente a oferta da operação nos hospitais do Brasil, principalmente por causa de seu alto grau de complexidade. É o que declarou ao G1 o médico Luiz Gonzaga de Freitas Filho, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e chefe do serviço de urologia do Hospital Infantil Darcy Vargas.

"Provavelmente só os hospitais universitários, ao menos em São Paulo, poderão fazer a cirurgia, principalmente porque você precisa de uma equipe multidisciplinar trabalhando em conjunto. Além do cirurgião, também há necessidade de endocrinologistas, psiquiatras e psicólogos, por exemplo", afirma Freitas, que trabalha com crianças que passam por procedimentos parecidos por causa de ambigüidade genital congênita (malformações em que os órgãos sexuais não apresentam características plenas de nenhum dos dois sexos).

"Por isso, a portaria não deve mudar absolutamente nada", diz o especialista. O processo que leva à cirurgia é longo e envolve anos de acompanhamento psicológico. O pós-operatório, na verdade, pode durar a vida toda. "O uso de hormônios e as cicatrizes da cirurgia exigem esse tipo de seguimento", explica Freitas.

No caso de transexuais masculinos que são operados para assumir características do sexo feminino, as técnicas atuais permitem a criação de uma vagina cujo funcionamento como órgão sexual é relativamente bom. O inverso, porém, ainda não é verdadeiro. "Você ainda não consegue criar um pênis com função adequada; só é possível colocar uma prótese. Isso seria o próximo passo das técnicas atuais, envolvendo coisas como cultura de células", diz Freitas.

Fonte: G1

Padre brasileiro é acusado de assediar jovem nos EUA

Homem voltou ao Brasil após receber um aviso da denúncia.

Um sacerdote brasileiro voltou ao país após ser acusado de assédio sexual de um jovem menor de idade cuja idade não foi revelada, segundo fontes da Igreja.

Um porta-voz da diócese católica da cidade de Fall River, no Estado de Massachusetts, disse que o sacerdote José Alfonso Lima partiu para o Brasil após receber um aviso do Departamento do Menor e da Família de Connecticut de que foi apresentada uma denúncia fundamentada contra ele, informou o jornal The Cape Cod Times.

O porta-voz John Kearns disse que Lima foi suspenso provisoriamente na última quarta, quando se soube da denúncia, e que o brasileiro rechaça a acusação.

Lima, cidadçao americano, atendia há dez anos a comunidade brasileira nas igrejas de São Franciso Javier em Hyannis e São Pio X em Yarmouth.



(Fonte: Zero Hora)

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ativistas cristãos são presos com bandeira « Jesus é Rei ».

CHINA - Autoridades prenderam por dez horas três ativistas cristãos americanos que estavam fazendo uma manifestação na Praça Tiananmen

O reverendo Pat Mahoney, da Coalizão de Defesa ao Cristão em Washington; Brandi Swindell, da Geração Vida (Life Generation) de Boise, capital de Idaho; e Michael McMonagle, diretor nacional do Geração Vida, conseguiram se ajoelhar e orar, mas foram levados sob custódia no dia 6 de agosto após exibirem uma bandeira onde se lia em inglês e chinês: "Jesus Cristo é Rei".

Policiais à paisana foram ao encontro dos três manifestantes e discretamente tentaram levá-los para outro lugar. Diante da insistência dos cristãos em ficar, mais e mais policiais vestidos com roupas informais começaram a chegar, formando um aglomerado ao redor dos cristãos.

Muitos apareceram com guarda-chuvas e os colocaram bem em frente à bandeira com os dizeres, numa tentativa de evitar que as pessoas percebessem o manifesto.

Vídeos mostram a discrição das autoridades chinesas

No youtube é possível ver algumas imagens distantes do momento em que os policiais à paisana abordam os cristãos. O autor do vídeo também foi identificado e preso pela polícia chinesa. Acompanhe abaixo um vídeo do protesto em que um policial de bermuda aparece:



E outro mostrando um aglomerado de pessoas ao fundo:



Os cristãos foram interrogados, tiveram seus vistos suspensos, celulares confiscados e foram obrigados a pagar US$ 2 mil para retornarem aos Estados Unidos, numa espécie de multa e convite forçado para deixarem a China.

"Esse é o momento de expor as práticas repressivas da China”, disse Bandi Swindell. O objetivo do protesto, segundo ele, foi mostrar a perseguição religiosa e os abusos aos direitos humanos, como a política do governo chinês de forçar que as cidadãs abortem.

O grupo estendeu a bandeira com os dizeres cristãos na praça onde em 1989 estudantes foram mortos em um massacre quando pediam por democracia.

Fonte: Portas Abertas

Padre britânico admite 27 casos de abuso sexual de meninos

Um padre que abusou sexualmente de meninos em um colégio católico em Manchester, no norte da Inglaterra, nas décadas de 70 e 80, admitiu 27 casos de abuso de crianças em um tribunal, nesta terça-feira.

William Green, de 67 anos, admitiu abusar de crianças com idades entre oito e 16 anos.

Green participou de aulas de educação física no Colégio St Bede, em Manchester, quando os casos de abuso ocorreram, e também trabalhou em outras escolas.

Ele deve receber uma sentença em um tribunal de Manchester no dia 30 de setembro.

Vítimas

Green (foto) foi acusado de 33 casos de atentado ao pudor contra nove meninos com menos de 16 anos.

Ele admitiu culpa por 27 das acusações relacionadas a sete vítimas.

Um porta-voz da Igreja Católica na Grande Manchester disse: "Nós temos cooperado com as autoridades desde o começo da investigação."

"É lamentável quando alguma coisa como esta acontece. Nossa prioridade e preocupação é sempre com as vítimas."

Fonte: O verbo

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Meninos ensinados pelos pais acharam prova de ciências difícil

Os jovens mineiros David, 15 anos e Jonatas, 14 anos, fizeram nesta segunda-feira (18) exames de português e de ciências. Seriam provas normais, não fosse o fato de que elas testam dois irmãos ensinados pela família. Seus pais optaram por retirá-los da escola e por fornecer o conteúdo. Como a lei brasileira não permite jovens fora da escola, a Justiça determinou que os meninos fossem avaliados.

O primeiro dia de testes parece não ter sido favorável à dupla. "A prova de ciências eles acharam difícil. Eles tiveram que estudar para um tipo de prova mais genérica. E a que foi aplicada exigiu muitos detalhes de biologia, células, sistema nervoso. O caçula teve mais dificuldades", conta o pai, Cleber de Andrade Nunes.

Segundo ele, a avaliação de português não foi tão complicada. "De português eles não reclamaram. Foi mais normal", afirma.

De acordo com a professora de português da rede estadual de ensino de Minas Gerais, Roseli Miranda, que é a responsável pela prova de português aplicada nessa segunda-feira, a secretaria teve a preocupação de cobrar apenas o que os meninos de fato aprenderiam na educação fundamental. "A prova tinha 30% de questões fáceis, 40% médias e 30% difíceis. Qualquer aluno da rede pública teria condições de resolvê-la", afirmou a professora.

No entanto, estudantes comuns não estão submetidos à pressão de David e Jonatas, como lembra o pai: "São dois adolescentes de 14 e 15 anos que estão estudando para uma prova que pode determinar se os pais vão ser presos ou não. É muita carga sobre eles", diz.

Nesta terça-feira (19), os jovens farão as provas de inglês e de história. O caçula ainda revisava a matéria na noite dessa segunda.

Maratona

Filhos do casal Cleber e Elisabeth Nunes, de Tímóteo (216 Km de Belo Horizonte), a dupla de meninos terá de enfrentar, ao todo, quatro dias de exames, das 7h30 às 11h, para mostrar para a Justiça que possuem conhecimentos gerais iguais aos alunos que freqüentam a escola. As provas são aplicadas no Centro Municipal de Educação Integrada, em Timóteo.

A Justiça havia determinado que as provas seriam aplicadas nos dias 28 e 29 de julho, mas os exames foram adiados porque a Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais pediu prorrogação do prazo, devido ao recesso escolar dos professores. A notificação com a nova data da prova chegou no dia 12 de agosto e incluía quatro novas matérias, o que preocupou o pai dos meninos.

Número de disciplinas aumentou

De acordo com Nunes, a primeira notificação judicial determinava que os garotos deveriam fazer provas de matemática, geografia, ciências e história - já que os irmãos afirmaram para o juiz que estudam em casa português, inglês, hebraico e informática. Só que a nova notificação foi diferente: David e Jonatas terão de fazer provas de português, matemática, inglês, geografia, história, ciências, artes, e educação física (incluindo conhecimentos sobre a história do handball, basquete, futebol, atletismo e outros esportes de alto rendimento).

As provas foram elaboradas por uma comissão de 16 professores das secretarias municipal e estadual de Educação e os meninos só receberam o conteúdo programático das provas uma semana antes da avaliação. Segundo Nunes, cada disciplina terá 20 questões, sendo 15 delas de múltipla escolha e cinco discursivas - completamente diferente da proposta anterior, que previa 30 questões de múltipla escolha em cada disciplina e que os estudantes entregassem os rascunhos da prova de matemática.

Pressão e aulas particulares

Para dar conta de estudar tantas disciplinas, os meninos tiveram aulas particulares de matemática e enfrentam uma maratona diária de estudos na biblioteca da cidade, para que possam ficar mais sossegados, sem interrupções.

Apesar do sacrifício, o pai acredita que os meninos têm condições de ser aprovados nas provas, que terminam só na quinta-feira (21). "O que eu queria mesmo é que outros alunos da rede pública fossem submetidos ao mesmo exame, só para a gente fazer uma comparação justa", disse Nunes.

A decisão de tirar da escola e os processos na Justiça

O casal está sendo processado na área cível (por causa do descumprimento do ECA) e também criminalmente (por abandono intelectual) porque tirou os filhos da escola há dois anos, sob a justificativa da má-qualidade do ensino brasileiro. A legislação brasileira não permite a educação em casa e obriga que as crianças sejam matriculadas nas escolas.

Nunes viajou para os Estados Unidos (onde o método é permitido) e conversou com famílias que educaram os filhos em casa. Então, se encantou com o projeto e resolveu aplicar a mesma coisa dentro de casa. "Comprei todo material que os americanos usam. Eu não concordo que meus filhos fiquem presos a um currículo", disse.

Um conhecido da família resolveu dedurar a decisão de Nunes para a o Conselho Tutelar - que foi investigar o caso. "Eles chegaram aqui achando que a gente estava explorando nossos filhos, sabe? Colocando eles para trabalhar. E não é nada disso. Eles estudam seis horas por dia como qualquer outro jovem da mesma idade", disse.

Questionado sobre a importância de manter os meninos na escola para que eles tenham amigos e outro convívio social que não seja restrito à casa da família, Nunes tem a resposta pronta. "O único problema que eu vejo é que os horários deles podem ser diferentes dos horários dos meus filhos e isso acaba sendo um elemento dificultador. Mas a escola não é e nem será o último ambiente socializador. Meus filhos brincam e têm amigos", afirmou.

No processo cível, o casal foi condenado a pagar 12 salários mínimos e rematricular os filhos na escola. Nunes recorreu da decisão e agora aguarda ansioso o momento em que os filhos farão as provas para, enfim, mostrarem se têm ou não capacidade intelectual.

Retirado de G1.com.br

Cirurgia de mudança de sexo pode ser feita pelo SUS

Medida foi publicada nesta terça-feira pelo Diário Oficial da União. Governo vai adotar providências necessárias para realizar o procedimento.

A cirurgia para mudança de sexo fará parte da lista de procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS). A Portaria n.º 1.707 do Ministério da Saúde, publicada na edição desta terça-feira (19) do Diário Oficial da União, prevê a realização do processo transexualizador nos hospitais públicos dos estados.

Segundo informações da Agência Brasil, a norma diz que deve-se “levar em consideração a integralidade da atenção, não restringindo nem centralizando a meta terapêutica no procedimento cirúrgico de transgenitalização, promovendo um atendimento livre de discriminação”.

Cabe à Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, segundo o texto, adotar as providências necessárias à plena estruturação e implantação do processo transexualizador no SUS, definindo os critérios mínimos para o funcionamento, o monitoramento e a avaliação dos serviços.

Retirado de G1

Bebê volta à vida após passar 5 horas em refrigerador de hospital em Israel

Uma bebê israelense que havia sido considerada morta pelos médicos "voltou à vida" nesta segunda-feira (18), depois de passar horas dentro de um refrigerador de um hospital em Jerusalém.

A menina, que nasceu pesando apenas 600 gramas, passou pelo menos cinco horas em um dos compartimentos refrigerados do hospital depois de ter sido dada como morta. Quando foi retirada para que fosse enterrada, seus pais começaram a notar alguns movimentos.

"Nós a desembrulhamos e sentimos que ela estava se mexendo. Nós não acreditamos no começo. Então ela começou a segurar a mão da minha mãe, e então vimos ela abrir a boca", disse Faiza Magdoub, de 26 anos, mãe do bebê.

O bebê havia sido considerado morto algumas horas antes, depois que médicos do hospital Western Galilee, norte de Israel, foram obrigados a abortar a gravidez para conter uma hemorragia interna na mãe. Magdoub estava na vigésima terceira semana de gravidez.

"Não sabemos como explicar isso, então quando não sabemos como explicar as coisas na medicina, chamamos de milagre, e isso é provavelmente o que aconteceu", disse o vice-diretor do hospital, Moshe Daniel.

O bebê foi então levado à unidade de tratamento intensivo neonatal do hospital, mas os médicos não tinham certeza de quanto tempo ela irá sobreviver.

Motti Ravid, um professor de medicina interna, disse ao canal 10 de Israel que a baixa temperatura dentro do refrigerador diminuiu o metabolismo do bebê e provavelmente ajudou-a a sobreviver.

Retirado de G1.com.br

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Os cristãos chineses pedem ajuda durante Olímpiada

CHINA - Hua Huiqi, ativista cristão e pastor de uma igreja não-registrada, escreveu uma carta para o presidente norte-americano George W. Bush, no domingo (10 de agosto), pedindo oração por sua segurança pessoal e por liberdade religiosa para todo o povo chinês.

Nesse mesmo dia, policiais com roupas civis prenderam Hua para impedir que ele participasse de um culto na igreja protestante registrada Kuanjie, em Pequim, ao qual Bush deveria comparecer, de acordo com a programação de sua visita ao país.

Hua Huiqi fugiu dos policiais enquanto eles dormiam; no momento em que a notícia foi divulgada, ele ainda continuava em um esconderijo. Durante a semana, vários outros cristãos também continuaram detidos ou em prisão domiciliar enquanto acontecem os Jogos Olímpicos.

Hua, na carta que escreveu, publicada pela Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês), agradeceu ao presidente Bush por sua preocupação com as igrejas chinesas não-registradas, além de expressar seu pesar por não poder comparecer ao culto do domingo. Ele também descreveu sua detenção, dizendo que sete ou oito policiais o chutaram e lhe deram socos antes de prender ele e seu irmão, Hua Huilin.

“Interrogaram-nos no local onde nos detiveram”, escreveu Hua. “Eles fizeram ameaças: ‘Nós não permitiremos que você vá à igreja Kuanjie hoje. Se você disser mais uma vez que comparecerá à igreja, quebraremos suas pernas’.”

Hua conseguiu escapar, mas temia as conseqüências. “Agora estou vagueando sem destino e não ouso voltar para casa”, escreveu ele. “Escrevo esta carta para implorar que o senhor ore por minha segurança pessoal e pela liberdade religiosa para todo o povo chinês.”

Shi Weihan: considerado um "elemento religioso perigoso”

Também em Pequim, Shi Weihan, dono de uma livraria cristã, continua sob custódia no Centro de Detenção Municipal de Pequim.
A polícia prendeu Shi pela primeira vez em 28 de novembro de 2007, acusando-o de “práticas ilegais de negócios”, depois que ele, conforme se alega, publicou literatura cristã sem autorização a fim de que fosse distribuída para as igrejas não-registradas, mas, em 4 de janeiro, o tribunal ordenou que fosse solto, alegando falta de evidências suficientes para condená-lo.

A polícia, que rotulou Shi de “elemento religioso perigoso”, prendeu-o novamente em 19 de março.

As autoridades da prisão impediram que os familiares visitassem Shi no centro de detenção ou lhe trouxessem alimentos e roupas. De acordo com CAA, o advogado de Shi recebeu apenas uma permissão para visitá-lo nas últimas semanas. Ele confirma que a saúde de Shi estava precária, e que ele precisava de atenção médica urgente.

Esposa dele dá entrevista a jornal americano

O jornal USA Today relatou na segunda (11 de agosto) que a esposa de Shi, Zhang Jing, disse: “É bom que o presidente possa cultuar a Deus aqui, mas não é provável que isso faça com que tenhamos mais liberdade ou consigamos registrar nossas igrejas.”
As autoridades forçaram a igreja de Shi, a Igreja da Vida Eterna de Antioquia, a fechar em junho.

“Várias igrejas não-registradas foram fechadas antes dos Jogos Olímpicos”, continua Zhang. “A polícia diz que estamos ameaçando a segurança nacional e exigem que meu marido desista de sua fé.”

Na mesma reportagem, Dennis Wilder, diretor do Conselho Nacional de Segurança dos Estados Unidos para a Ásia, depois do encontro de George W. Bush com Hu Jintao, presidente da China, no domingo (10 de agosto), disse o seguinte: “Hu parece indicar que a porta para a liberdade religiosa está se abrindo e que, no futuro, haverá mais espaço para os cristãos praticantes”.


Fonte: Portas Abertas

Aos prantos, Hypólito pede desculpas aos brasileiros

Aos prantos pelo resultado negativo obtido na final da prova de solo nos Jogos Olímpicos de Pequim, o ginasta Diego Hypólito pediu desculpas a todos os brasileiros pela expectativa depositada no atleta durante esses quatro anos. O esportista era favorito ao ouro na capital chinesa mas, no último movimento, caiu e não conteve as lágrimas.

"Peço desculpas para o Brasil. Nunca imaginei fazer isso. Estava seguro que ia dar certo. Foram quatro anos tão bons na minha carreira. Entrei para final pela primeira vez na história, mas isso não era o que eu esperava. Peço desculpas a todos os brasileiros. Pela expectativa que todos tiveram em cima de mim. Infelizmente não deu certo. Não vejo motivo, mas peço desculpas", lamentou.

Depois de chorar ao receber a nota 15,200 pela apresentação, Diego passou pela imprensa sem dar entrevistas mas, pouco tempo mais tarde, após abraçar a presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Vicélia Florenzano, conversou com os jornalistas.

Hypólito erra no fim, fica sem medalha e chora em Pequim

Nosso mundo caiu, diz técnico de Diego Hypólito Alguns minutos mais tarde, mais calmo, Hypólito se dirigiu à área reservada aos atletas, abraçado com a irmã Danielle, e começou a ler trechos da Bíblia. No entanto, não se conteve e voltou a chorar muito.

O ouro ficou com o chinês Kai Zou que, em uma apresentação exemplar cravou a nota 16,050. Outro favorito ao lado de Dragulescu e Diego, o espanhol Gervasio Deffer ficou com a prata, com 15,775, seguido do russo Anton Golotsutskov, com 15,725.

Fonte: O verbo

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Governo eritreu nega violação à liberdade religiosa

A última notícia do país foi a detenção de oito jovens cristãos em um contêiner porque eles questionaram a queima de Bíblias promovida pelo Exército.

O Departamento de Estado norte-americano, em seu Relatório Internacional sobre Liberdade Religiosa, afirma que Eritréia não implementou a liberdade religiosa da Constituição de 1997. O departamento estatal designou no ano passado a Eritréia como um País de Preocupação Particular.

Mais de 2,000 cristãos, inclusive os pastores e padres de igrejas protestantes e ortodoxas, estão agora detidos em delegacias de polícia, acampamentos militares e prisões ao longo do país por causa de suas convicções religiosas.

Embora tenham sido encarcerados por meses ou até mesmo anos, nenhum foi oficialmente acusado de alguma ilegalidade e nem passou por processo judicial.

Em dezembro de 2006, o governo de Eritréia tomou o controle financeiro e pessoal da Igreja Ortodoxa erítrea. A igreja que estava sob o controle do patriarca Abune Antonios foi tomada e ele colocado sob prisão domiciliar e despido de toda a autoridade eclesiástica desde agosto de 2005.

(Fonte: Portas Abertas)

Retirado de O verbo.

Educação aprova exigência de Bíblia em bibliotecas

A Comissão de Educação e Cultura aprovou ontem o Projeto de Lei 2865/08, que obriga o Poder Público a colocar um exemplar da Bíblia em cada biblioteca pública do País. O autor da proposta, deputado Filipe Pereira (PSC-RJ), quer permitir aos seguidores da fé cristã o acesso à doutrina.

Para o relator da matéria na comissão, deputado Professor Setimo (PMDB-MA), o alto preço das publicações no País faz com que muitas pessoas não tenham acesso ao livro. "No Brasil, um país predominante cristão, grande parte das pessoas, especialmente as mais pobres, nunca tiveram acesso à Bíblia Sagrada - livro de regra e fé que propicia contato com princípios éticos e morais e com valores cristãos de grande importância para os que seguem a doutrina cristã", argumenta.

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Retirado de Câmara dos Deputados

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Funai tenta impedir veiculação de filme Hakani

O filme integra campanha de combate à prática de infanticídio entre tribos da Amazônia. Para a entidade, produção generaliza tradições de forma inadequada

A Fundação Nacional do Índio (Funai) estuda qual instrumento jurídico vai utilizar para impedir, na Justiça, a divulgação do filme Hakani pela internet e emissoras de televisão brasileiras. Com 36 minutos de duração, o misto de documentário e drama conta a história de duas crianças indígenas enterradas vivas por terem nascido com deficiências físicas e faz parte da campanha contra o infanticídio nas tribos da Amazônia. O ritual ainda é praticado por várias tribos, inclusive os Suruwaha, etnia que vive às margens do Rio Purus, no Amazonas, onde a história do filme se passa. Era nessa aldeia que vivia a menina Hakani. “A Funai está tomando providências para que o vídeo seja retirado do site YouTube, pois entende que o conteúdo denigre a imagem das mais de 220 etnias que vivem no Brasil”, diz a nota da instituição.

Hakani é o nome da menina que nasceu com hipertiroidismo e, por não ter o desenvolvimento físico esperado pela tribo, foi enterrada viva, mas salva pelo irmão mais velho. Depois de abandonada pela família, a criança foi adotada pelo casal de lingüistas Marcia e Edison Suzuki. A menina, que completa 13 anos na próxima segunda-feira, vive e estuda em Brasília. Com versões em português e em inglês, o filme relata, com pequenas adaptações, a história de Hakani e pode ser assistido no site www.hakani.org, criado para ser a principal peça da campanha contra o infanticídio entre indígenas. A história da pequena índia foi revelada pelo Correio no ano passado.

A Funai considerou “escusa” a origem do filme e teme a generalização inadequada de uma tradição indígena. A fundação admite acionar a Polícia Federal para investigar a legalidade da realização do trabalho. Encarregada pela tutela dos indígenas brasileiros, a direção da entidade entende que a questão abordada pelo vídeo precisa ser tratada em uma ampla discussão sobre os direitos humanos universais e a relatividade cultural deles, envolvendo governo, organizações indígenas e a sociedade em geral. A Funai conhece a pratica, mas garante que não é comum a todas as etinias e, mesmo entre as que ainda a adotam, já há alternativas de adoção das crianças doentes por outras famílias para evitar as mortes.

Interferência
Com cenas consideradas exageradamente fortes e até criminosas por antropólogos, o filme foi produzido pela organização não-governamental (ONG) Atini — palavra que significa voz pela vida — e financiado pela instituição evangélica Jovens com um ideal (Jocum), que tem sede nos Estados Unidos e vários escritórios no Brasil. A instituição se especializou na evangelização dos índios e no resgate de crianças marcadas para morrer nas tribos por serem portadoras de necessidades especiais.

O ex-presidente da Funai Mercio Pereira Gomes pediu a interferência da PF, do Ministério da Justiça e até do Supremo Tribunal Federal para impedir a divulgação do filme. “A encenação é criminosa. Os autores têm que ser processados e os demais responsáveis punidos rigorosamente”, protestou Mercio.

Além das cenas na suposta aldeia Suruwaha, o documentário mostra depoimentos do juiz Renato Mimessi, de Rondônia, defendendo a campanha. Também aparece nas cenas o deputado Francisco Praciano (PT-AM), declarando, durante sessão da Comissão de Direitos Humanos, que a Constituição brasileira não foi feita para índios. O congressista reclamou. Segundo ele, a campanha agride a cultura indígena. “A prática indígena assusta o homem das cidades. Mas também assusta a interferência de entidades religiosas que querem alterar a cultura dos povos indígenas, criminalizando uma prática que ainda não sabemos entender”, protestou.

Megaprodução
Com produção digna dos grandes filmes de ficção e dirigido pelo cineasta americano David Cunningham (A última das guerras), o documentário informa que se trata de “uma história verídica”. Foi rodado em janeiro em uma fazenda da Jocum, nos arredores de Porto Velho (RO), com a participação de índios de várias etnias que vivem fora das aldeias e trabalharam como atores. Em algumas tomadas, foi utilizado até um helicóptero para simular uma ventania. Para filmar o enterro das crianças ainda vivas, a produção utilizou um imenso bolo de chocolate para simular a cova. Com roteiro de Kevin Miller, e narração em português da atriz Irene Ravache, o trabalho teve co-produção do brasileiro Enock Freitas e os cineastas aceitaram trabalhar no filme como voluntários, segundo a Jocum.
Os índios que atuaram no filme receberam cachês, mesmo sendo amadores. “O direito à vida é mais importante que o direito de preservar as tradições. Todas as culturas evoluem e precisamos superar essa prática terrível”, comentou o índio Eli Ticuna. Ele, junto com a mulher e os filhos, atua nas filmagens. No fim do filme, a menina aparece contando como está a vida dela hoje, já tratada da doença.

"A encenação é criminosa. Os autores têm que ser processados"
           Mercio Pereira Gomes, antropólogo

"O direito à vida é mais importante que o direito de preservar as tradições"
              Eli Ticuna, índio que atua no filme Hakani

 

VAMOS ORAR POR ESSE HOMENS E MULHERES DA ATINI QUE ESTÃO COMPROMISSADOS COM DEUS E COM VIDAS!

Homens são presos por « promover o cristianismo »

IÊMEN - Autoridades iemenitas prenderam sete cristãos, incluindo um número desconhecido de cidadãos americanos, na província de Hodiada. De acordo com o site “Sahwa Net”, os cristãos foram acusados de "promover o cristianismo ao distribuírem a Bíblia". O relato não deixou claro se os cristãos serão formalmente levados a um Tribunal com base nessas alegações.

Os cristãos foram presos no último dia 18 de junho e transferidos para a cidade de Sana"a enquanto as autoridades iemenitas os investigam. Segundo fontes da International Christian Concern (ICC), os cristãos correm o risco de serem torturados por forças de segurança iemenitas.

Um dos presos é Hadni Dohni, um ex-muçulmano que converteu ao cristianismo. Os demais seis eram estrangeiros, além dos americanos.

Em um comunicado distribuído à imprensa, a ICC explica que os cristãos que moram em países muçulmanos estão enfrentando uma perseguição crescente.

Perseguição crescente

O grupo diz: "Cristãos no Irã, no Egito e na Argélia estão assistindo ao crescimento das atividades anticristãs. Esta recente prisão de cristãos no Iêmen faz parte do aumento da perseguição aos cristãos nos países islâmicos."

Por favor, ore pela segurança destes sete cristãos, e para que Deus os proteja da tortura e de outros tipos de maus tratos a ponto de não comprometer seus corpos e seus ministérios.

Peça por força e coragem a eles durante esta situação difícil a fim de que eles também sejam usados na prisão pelo Senhor para levar as boas novas aos demais prisioneiros.

(Fonte: Portas Abertas)

Mórmons e gays em pé de guerra nos EUA

Militantes homossexuais denunciam que Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias discrimina gays; grupo se defende com base na leitura da Bíblia.

As críticas de grupos religiosos à homossexualidade não estão provocando polêmica apenas no Brasil – onde o Projeto de Lei 122/2006, que penaliza a chamada homofobia, preocupa os grupos cristãos, para quem a Bíblia condena o comportamento gay. Nos Estados Unidos, uma discussão envolvendo a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecida como Igreja Mórmon, está ganhando corpo. O Affirmation, grupo de apoio a mórmons gays dos Estados Unidos, está pedindo que a denominação se retrate da recente declaração de que homossexualismo é pecado e precisa ser evitada. O grupo pede ainda que a igreja ensine as famílias a amar e respeitar seus filhos e filhas homossexuais.

Os líderes do Affirmation chegaram a pedir uma reunião com as lideranças da organização religiosa, cuja sede fica em Salt Lake City. O Affirmation também não se conforma com o fato de os mórmons estariam ensinando que a homossexualidade seria uma doença. Embora seja classificada como seita pela maioria das denominações evangélicas, para quem os ensinos mórmons se chocam com o Evangelho de Jesus Cristo, a Igreja Mórmon toma ao pé da letra as passagens bíblicas que tratam do assunto, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento. No entanto, muitos militantes gays denunciam a intolerância de pastores e seguidores da igreja – e, em contrapartida, os mórmons dizem que o Affirmation não pode representar mórmons gays, simplesmente porque a prática homossexual é totalmente contrária à fé dos que professam o mormonismo.


(Fonte: Cristianismo Hoje)

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Josue Yrion diz que Xuxa vendeu alma a Satanás.

Um vídeo em que o pastor Josue Yrion, que vive nos Estados Unidos, diz que Xuxa vendeu a alma a Satanás por US$ 100 milhões, se tornou um 'hit' da Internet.

"Xuxa é o nome de dois demônios brasileiros: Oxu e Orixá", diz ele aos fiéis.

Segundo informações da coluna de Monica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo, Yrion já disse que o boneco Barney come "cadáveres humanos" e afirma que os personagens Bart Simpson e Homem-Aranha têm ligações malignas.

Yrion é conhecido por divulgar a "ameaça" de supostas mensagens subliminares nos veículos mundiais, especialmente em filmes de grandes empresas, como a Disney e a Toei Co., que produz desenhos japoneses.

A assessoria de Xuxa diz que não vai comentar essas barbaridades.
"Xuxa é o nome de dois demônios brasileiros: Oxu e Orixá", diz ele aos fiéis.

Segundo informações da coluna de Monica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo, Yrion já disse que o boneco Barney come "cadáveres humanos" e afirma que os personagens Bart Simpson e Homem-Aranha têm ligações malignas.

Yrion é conhecido por divulgar a "ameaça" de supostas mensagens subliminares nos veículos mundiais, especialmente em filmes de grandes empresas, como a Disney e a Toei Co., que produz desenhos japoneses.

A assessoria de Xuxa diz que não vai comentar essas barbaridades.


(Fonte: Terra)

Cristão torturado foge para a Turquia e pede asilo

IRÃ - Após um mês de interrogatórios e tortura por parte da polícia secreta iraniana, o cristão Mohsen Namvar fugiu com sua família para o outro lado da fronteira em direção à Turquia.

Viajando de trem e gravemente ferido, ele chegou no dia 2 de julho ao leste turco com sua esposa e filho.

Mohsen Namvar, 44 anos, foi mantido incomunicável por um grupo do Sepah (a Guarda Iraniana Revolucionária) de 31 de maio a 26 de junho, quando autoridades disseram a sua família que o libertariam “temporariamente”.

Apesar de a polícia secreta ter pedido uma fiança de US$ 43mil (cerca de R$73 mil), os oficiais se recusaram a emitir uma ordem para o pagamento da quantia para a família.

No momento de sua soltura, Mohsen tinha febre, dores nas costas, pressão sangüínea altíssima, tremedeira nos membros e freqüente perda de memória. “Eu não tenho dúvidas de que queriam me matar”, disse ele à agência de notícias Compass Direct.

Ele se negou a delatar companheiros

Segundo Mohsen, que se converteu do islamismo ao cristianismo em sua adolescência, a severa violência sofrida na prisão foi resultado de sua recusa em oferecer à polícia nomes ou informações acerca de outros convertidos e grupos cristãos no país.

Na primavera de 2007, Mohsen havia sido preso e severamente torturado com choques elétricos, supostamente utilizados para batizar mulçumanos convertidos ao cristianismo. Três meses após passar por uma cirurgia na coluna por causa de tais agressões, foi capaz de andar novamente, mas ainda com certa dor e desconforto.

Mohsen Namvar se apresentou ao escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), na cidade de Ancara, para que ele e sua família fossem tidos como cidadãos à procura de asilo político.

Tudo começou com um sonho

“Eu não conhecia Deus até que Jesus apareceu em um sonho para mim”, conta ele, lembrando de sua conversão ao cristianismo há 29 anos. “Mas desde então, eu tenho seguido a Jesus e contado aos outros acerca d’Ele.”

Sob o autoritário governo xiita iraniano, um mulçumano que se converte ao cristianismo, comete apostasia, isto é, é acusado de abandonar a fé, e está sujeito à pena de morte.

Mahmood Matin e Arash Bandari, cristãos iranianos, estão na cadeia desde o dia 15 de maio em Shiraz, onde foram presos por “suspeita” de apostasia.

Sob um projeto de lei ainda em discussão durante este mês no parlamento iraniano, a pena de morte, até então “opcional” para casos desse tipo, pode passar a ser obrigatória.

(Fonte: Portas Abertas)

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Filme evangélico "Desafiando Gigantes" inspirou Tiago Camilo para o bronze

Um filme motivacional inspirou o judoca Tiago Camilo na conquista de sua segunda medalha olímpica. Em Sydney-2000, ele foi prata; desta vez, bronze, derrotando na última luta o holandês Guillaume Elmont, na categoria meio-médio. "Desafiando gigantes" (Facing the giants), uma produção americana de 2006, é um dos DVDs favoritos de atletas de alto nível, como Tiago. O filme conta a história de um time pequeno de futebol americano que consegue uma vitória surpreendente nos últimos segundos, graças à fé do pai do jogador que faz o ponto decisivo. De filosofia evangélica, o filme custou apenas US$ 100 mil e já arrecadou mais de US$ 10 milhões nos EUA desde o lançamento.

Com a fala entrecortada pelo choro, Tiago Camilo (foto) citou uma parábola do filme para ilustrar o que chamou de "uma vitória do Senhor": a história de dois fazendeiros que oraram por chuva. Um deles preparou o campo para receber a chuva, o outro não. "Eu encarava a competição assim", disse Tiago.

Tiago, dava pra ter chegado ao ouro?
(Pausa de cinco segundos) Hoje, aqui... (pausa de 15 segundos) tinha duas pessoas que… eram dois fazendeiros. E os dois oraram pra que a chuva caísse em seus campos. E somente um foi ao campo preparar o campo pra receber a chuva que vinha de Deus. E hoje, eu aqui, eu preparei o campo pra receber a vitória. Esse bronze, pra mim, valeu ouro. É a vitória do Senhor. Acho que foi uma competição muito difícil pra mim. Porque eu tinha o objetivo de vir aqui buscar o ouro. E foi muito difícil me motivar novamente, eu entrar na competição novamente. Mas tô muito feliz de ter conquistado mais uma medalha olímpica, que todos que estão aí em cima merecem a medalha e a medalha é de uma cor só. Obrigado.

Você está triste?
Não tenho por que estar triste. Tantas pessoas no Brasil que me apoiaram, que me ajudaram. E coloquei todo mundo, todo o povo brasileiro no meu coração. Hoje... no momento em que eu tive mais dificuldade... eu pensei em todo o povo brasileiro... que o Brasil tá colado na televisão me vendo lutar aqui... são 180 milhões de pessoas querendo estar aqui no meu lugar e eu estava aqui. Eu não podia desperdiçar... essa chance mais uma vez... Eu dei o meu máximo. Dei o meu máximo.

Depois da cerimônia de medalhas, mais calmo, Tiago falou no celular com o irmão, Chicão, e continuou a responder as perguntas dos jornalistas:

"É isso aí, Chicão? É isso aí, cara... Feliz pra c. Muito feliz. Fala, Chicão, pode falar. Valeu, Chicão. Um beijo aí... Manda um beijo pra mãe, pro pai, pra Alessandra, pra todo mundo. Amo todo mundo. O Rafa... cadê o Rafão, o Rafão tá bem? Ah, manda um beijo pra ele. Um beijo pra todo mundo, cara. Todo mundo da família. Falou? Valeu, Chicão. Valeu essa caminhada toda aí, né? Valeu, te amo. Um beijo. Tchau. Depois eu te ligo com calma. Tchau."

Qual a diferença entre Sydney e agora?
A sensação é sempre a mesma, de ser medalhista. São duas Olimpíadas que eu luto, nas duas eu fui medalhista. Tô muito feliz porque batalhei muito nesses anos todos e em nenhum momento eu deixei de acreditar nem tive dúvida da minha capacidade. Passei por momentos difíceis nesse caminho todo, mas sempre, sempre, sempre acreditando até o fim. E aqui foi igual. Teve um momento na luta que tava difícil, que tava duro, mas eu não vacilei. Meu espírito estava forte, minha cabeça tava forte. Sabia o que eu queria. Mesmo depois da derrota. Eu demorei um pouco pra voltar na competição, mas no fim deu tudo certo e tô muito feliz de ter conquistado esse bronze.

Quando você saiu da briga pela medalha de ouro, o que passou pela sua cabeça?

Ah, no momento você fica muito triste. Você vê tudo saindo das suas mãos, escapando das suas mãos. Mas eu levantei a cabeça e procurei todas as respostas em mim. Fui no banheiro, lavei meu rosto, olhei bem no espelho e sabia que tinha que continuar lutando. Mesmo porque eu não podia desperdiçar mais uma chance de estar aqui. Então eu lutei com muita determinação. Falei com o Chicão no intervalo e ele me ajudou bastante a me motivar. Porque tantas pessoas, pelo esporte e por mim, tantas pessoas pararam pra assistir à minha luta. Muitas pessoas passaram a noite acordadas me assistindo. Então eu fiquei muito feliz, com todo mundo dentro do meu coração. Todo mundo mesmo. Sem citar nomes. Todo mundo que tava torcendo por mim, todo mundo que tava lá vibrando comigo, eu coloquei no meu coração aqui e a vitória foi de todos nós.

Você sai com a sensação do dever cumprido?
Eu fiz o meu melhor. A luta com o alemão, ali, tava bem equilibrada. Eu errei mesmo ali na luta, foi uma coisa de instinto, eu entrei... apesar que depois eu achei que foi ippon... mas tudo bem, coisas da luta, tudo pode acontecer na luta. O judô é isso. Tudo pode acontecer. O mais importante tá aqui (olha para a medalha).

O que o seu irmão te falou nesse intervalo?
Ele falou que essa medalha tinha nome. Essa olimpíada tinha um nome. E que não importava a cor da medalha. E falolu: "Pô, você trabalhou tanto, cara! Eu vi todo dia você trabalhando. Todo dia." Foram oito anos, né, de dedicação (a voz fica embargada). Mas valeu a pena, porque... a nossa família tá sempre com a gente, né. E mesmo aqui longe eu vi o rosto de todos. Eu ouvi a voz de todos. (Suspiro) E eles foram comigo na área (de espera) e eles lutaram comigo. E me empurraram hoje.

Você falou de Deus. Qual a importância da religião para você?
Isso daqui é pouco, né? Isso depois vira pó. Mas a maior felicidade é que a gente encontre Deus. Eu assisti a um filme esta semana que me marcou muito. Que eu falei aqui, depois que eu saí. Tinha dois fazendeiros e os dois pediram que caísse... fazia muito tempo que não chovia no campo deles, e os dois oraram pra Deus. Só que só um foi pro campo preparar a terra pra receber a chuva. Então eu encarava essa competição aqui... isso mexeu comigo bastante.

Qual o nome do filme?
"Desafiando Gigantes". Eu vim aqui preparar o campo pra receber a glória. A glória é essa glória aqui. Tudo. Mas Deus me ajudou. Deus deu a vitória porque ele tá sempre comigo. Tá todo o tempo comigo. E sempre vai estar.

Foi mais difícil que em Sydney, porque os adversários já o conheciam?
(Risos) Eu sabia que todo mundo ia me estudar. Eu sabia que ia encontrar dificuldades aqui. Só que eu também me preparei pra isso. Pode ver que nas lutas eu não joguei com os mesmos golpes que eu joguei no Mundial. Foram outros golpes, porque eu preparei tudo novo pra essa competição. Não deu certo, mas eu tô feliz pra caramba, porque quando faltavam duas lutas eu pensei: "Agora pra mim essa é a semifinal e a final". E eu encarei desse jeito.

Fonte: Revista Época

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Cadáver pede copo d'água na hora da autópsia

Indiano de 19 anos foi dado como morto depois megatumulto no templo. 'Acordei com a garganta seca no meio de vários corpos', lembra o rapaz.

Mange Ram, de 19 anos, perdeu a consciência depois de ser atropelado por uma multidão apavorada quando teve início um monumental tumulto no templo hindu de Naina Devi, na Índia, no dia 3 de agosto (domingo).

"Quando acordei, estava no meio de uma fileira de corpos esperando pela autópsia", disse Ram, ainda meio assustado, ao "The Times of India". "Minha garganta estava seca e eu pedi água. De repente, os médicos e enfermeiros do hospital Anandpur Sahib vieram pra cima de mim com cara de atordoados", lembra o rapaz. "Eles devem ter se espantado ao ver um homem morto voltar à vida desse jeito."

Na confusão, Mange Ram foi ensacado e enviado ao hospital, a 18 quilômetros do templo. Voluntários despreparados convocados para ajudar a pôr ordem na casa não perceberam que ele só estava desmaiado.

(Fonte: G1)

Extremistas matam professor cristão na Somália

Extremistas islâmicos atiraram e mataram um ex-muçulmano convertido ao cristianismo no último dia 10 de julho, em Afgyoye, na Somália. O nome da vítima era Sayid Ali Sheik Luqman Hussein e ele tinha 28 anos.

De acordo com a Internacional Christian Concern (ICC), no dia 8 de julho, dois homens muçulmanos chegaram até Sayid Hussein e lhe perguntaram se ele se dirigia para Meca quando rezava (Maomé ensinou que os seguidores dele deveriam se voltar para a cidade de Meca sempre que fizessem suas rezas).

O rapaz lhes falou que, como era cristão, não tinha que se voltar para uma direção específica na hora de orar porque Deus é onipresente.

Dois dias depois os homens voltaram, desta vez, armados com um rifle AK-47 e uma arma semi-automática e atiraram em Sayid Hussein até a morte.

Ao saber da notícia, a esposa do cristão, grávida, entrou em trabalho de parto prematuro e acabou perdendo o bebê.

Vida frutífera

Sayid Hussein entregou sua vida a Cristo em 2004. Ele cresceu na fé e começou a evangelizar na comunidade onde trabalhava como professor. O pastor dele o descreveu como o evangelista mais ativo e efetivo na região.

Um dos alunos dele disse que Sayid foi o homem mais religioso que ele encontrou na vida.

Recentemente, extremistas islâmicos intensificaram os ataques contra cristãos na Somália. Nos últimos nove meses, cinco cristãos foram mortos por causa de sua fé. Os demais mortos são: David Abdulwahab Mohamed Ali, Da"ud Ali, Mohamed Yusuf e Hassan Mo"alim.

"Os somalis estão pagando o preço pela fé deles em Jesus Cristo. Apesar da perseguição, eles escolheram confiar em Deus e no Senhor Jesus Cristo ao ponto de morrerem. Por favor, orem e apóiem nossos irmãos somalis”, disse Jonathan Racho, da ICC para a África.

PS: A todos os cristãos, peço que orem pelos homens e mulheres que estão se colocando a disposição do reino para pregar o evangelho pelo mundo. E que casos como este, sirvam para que cada vez mais pessoas conheçam a Cristo como seu único salvador.

Retirado de Missões Portas Abertas
www.portasabertas.org.br

Deus pode confiar em você?

Você já deve ter parado para se perguntar: “Será que realmente confio em Deus? Estou entregando verdadeiramente minha vida ao Senhor, ou muitas vezes entrego, mas logo em seguida tomo de volta os meus problemas?”

Buscando respostas na Palavra, é certo que as encontraremos facilmente. Sabemos que podemos contar com Deus por tudo que Ele fez por amor a cada um de nós. Muitos personagens bíblicos provaram da fidelidade do Senhor naqueles tempos. A Palavra é clara e demonstra, tanto no Velho como no Novo Testamento, as verdades de um Deus zeloso, justo e misericordioso para com aquele que confia os desígnios de sua vida a Ele. Não só naqueles dias, como hoje, o Senhor honra seu compromisso em cuidar de tudo que deixamos em suas mãos, de tudo o que abandonamos sob o cuidado dele.

Sabemos dessas verdades, mas também estamos cientes de que uma relação de confiança requer um sentimento mútuo entre as partes. À luz desta verdade, uma outra pergunta precisa ser feita: “Você confia em Deus, mas e Deus, pode confiar em você?”

Estava refletindo a respeito de minha confiança em relação a Deus e subitamente me veio ao coração esta pergunta, nitidamente revelada por Deus: “Posso confiar em você?” Confesso que parei por um instante e analisei o que tenho feito para merecer a confiança de Deus, e pude entender que ainda há muito por fazer.

Gostaria de propor esta análise a você e te convidar a fazer esta reflexão. O que você tem feito para construir esta relação de confiança? Você tem demonstrado que Deus pode contar contigo e que há fidelidade em seu compromisso para com Ele? O Senhor pode confiar em suas mãos o serviço santo para construção do seu reino? Você verdadeiramente tem buscado, por meio de suas atitudes, inspirar a confiança do Altíssimo?

Muito o Senhor tem a nos confiar, seja nas pequenas como nas grandes coisas. Seja dentro de nossas casas, em nosso ministério ou realizando grandes feitos em seu nome não só em nosso bairro, cidade, mas até mesmo pelo país, pelas nações. 

Precisamos nos tornar cientes de que toda nossa confiança depositada em Deus é fielmente correspondida, se verdadeiramente abandonarmos nossa vida, os nossos problemas nas mãos dele. Mas precisamos refletir se a confiança que Deus deposita em nós para a construção e propagação do seu reino aqui na terra está sendo correspondida com esta mesma fidelidade.

Estejamos atentos ao que Deus espera de nós. Muitas vezes a nossa sede em encontrar, na fidelidade do Senhor, respostas imediatas para nossas orações, não nos permite parar para pensar neste aspecto tão importante e precioso na construção de um relacionamento íntimo com o nosso Deus. Ele quer nos confiar mais de seus planos, quer nos tornar verdadeiros agentes e legítimos membros do Corpo de Cristo. Precisamos apenas nos dispor e demonstrar nosso desejo em servi-lo com empenho e fidelidade.
Ele quer mais de mim e de você!

Retirado de Lagoinha.com / Escrito por Ana Cláudia Mara

sábado, 9 de agosto de 2008

Prefeitura fecha templo por causa de alto volume

SÃO PAULO - O alto volume produzido durante os cultos levou a prefeitura de Franca a lacrar um templo da igreja Assembléia de Deus localizada no Jardim América. Vizinhos reclamaram junto à administração municipal, que cassou o alvará e exigiu uma série de medidas.

Como não foram tomadas, o local foi interditado e fiéis chegaram a fazer um culto na rua no início desta semana.

A polícia interferiu e os religiosos resolveram então apostar em um projeto apresentado na última terça-feira na Câmara Municipal pelo vereador José Barbosa Sobrinho (PTB). Ele queria aumentar de 45 decibéis para 80 decibéis o limite de som permitido para os templos religiosos. O problema é que mesmo com o plenário lotado e muita pressão por parte dos evangélicos, a proposta acabou adiada.

Sem alternativa, os religiosos resolveram mudar de endereço e estão à procura de um barracão em outra região da cidade. Também firmaram um acordo, no final da tarde desta quarta-feira, com a prefeitura para poderem continuar com os cultos até que um novo templo seja providenciado. Para isso assinaram um termo de conduta com o setor de Obras e Posturas.


(Fonte: ADIBERJ)

Tribunal pune reverendo que orou "no nome de Jesus "

EUA - O Quarto Tribunal de Apelações decidiu no último dia 23 de julho que a assembléia municipal da cidade de Fredericksburg, na Virgínia, tem toda a autoridade para influenciar no conteúdo de orações proferidas em público a fim de que elas deixem de ter um caráter "sectário", ao se referirem ao nome de Jesus, e concordou em excluir o membro do conselho, o reverendo Hashmel Turner, porque ele orou desse modo.

A ministra da Suprema Corte de Justiça, Sandra Day O’Connor, justificou na decisão por escrito: “A restrição para orações de natureza sectária têm o objetivo de tornar as orações acessíveis às pessoas que vêm de uma variedade de crenças, sem exclui-las ou limitá-las a uma fé em particular.”

Ironicamente, ela admitiu que o reverendo Hashmel Turner foi excluído de participar do conselho da cidade única e tão somente por causa do conteúdo cristão da sua oração.

O governo de Fredericksburg violou todos os direitos coletivos ao estabelecer uma religião não-sectária e requerer que todas as orações sejam adaptadas mediante a ameaça de serem excludentes.

A juíza O"Connor mostrou seu perfil liberal, ao declarar a palavra de Jesus "como um discurso religioso ilegal que pode ser proibido por qualquer conselho que deseja ignorar a Primeira Emenda", assim como ela o fez.

O reverendo Hashmel Turner deveria recorrer ao prefeito, pedir que ele despedisse os demais membros do conselho e refizesse a política para as orações. E, se for o caso, levar a questão a instâncias maiores da Justiça.

Capelão processado

Em janeiro de 2007, o capelão da Marinha, Gordon James Klingenschmitt, foi levado à Corte Marcial por ter orado no nome de Jesus durante uma visita à Casa Branca e acabou sendo demitido como forma de retaliação porque levou o assunto até as últimas conseqüências, a ponto do Congresso norte-americano ter deliberado que todos os capelães estavam livres para orar em nome de Jesus.

“Essa batalha me custou a carreira, minha família está sem casa, perdi US$ 1 milhão em pensão, tudo pela nossa liberdade de orar. É um sacrifício e tanto mas valeu a pena porque os capelães ganharam o direito de orar no nome de Jesus sem serem punidos. Se eu pudesse voltar ao passado, faria tudo de novo”, disse Gordon em entrevista ao WorldNetDaily e ao Baptist Press.


(Fonte: Portas Abertas)