sexta-feira, 6 de junho de 2008

Habiba Kouider foi pressionada a renunciar a Cristo

ARGÉLIA - Habiba Kouider, 35 anos, foi humilhada em um ônibus intermunicipal da cidade de Tiaret, onde mora, no dia 29 de março, depois que um policial encontrou várias Bíblias e livros sobre cristianismo em sua bolsa de mão. Detida por 24 horas e interrogada pela polícia por causa de sua conversão, ela foi levada a um promotor público do Estado.

(Fonte: Portas Abertas) - "Volte para o islamismo e eu deixarei o caso de lado; se você insistir no pecado, você vai experimentar a justiça", disse o promotor para ela, segundo o jornal francês "Le Figaro".

O jornal argelino "el Watani" relatou na última quarta-feira, 21 de maio, que Habiba Kouider "se recusou a deixar a nova fé mesmo sob forte pressão", incitando o promotor a apresentar acusações contra ela.

Ela é acusada de "praticar ritos religiosos não-muçulmanos sem licença", de acordo com uma cópia escrita das acusações obtida pelo Compass. Um promotor-público solicitou uma condenação de três anos de prisão para ela.

"Foi como se eles estivessem dizendo que se alguém se tornar um cristão ele terá que ter permissão", disse um cristão de Tiaret.

Humilhação no tribunal

De acordo com o relatado, o juiz de uma corte da cidade de Tiaret ridicularizou Habiba Kouider pela sua conversão há quatro anos.

"Os sacerdotes fizeram você beber a água que leva para o paraíso?" perguntou o juiz, segundo matéria publicada no dia 20 de maio pelo jornal francês "Le Figaro".

Na audiência, a advogada de defesa de Habiba Kouider disse à corte que a acusação contra sua cliente não existe na lei. "Não existe nenhum indício possível para julgar indivíduos por ‘praticar culto não-muçulmano sem autorização’", disse Khelloudja Khalfoun, de acordo com o "el Watani".

Ela acrescentou: "Que autoridade, moral ou administrativa é designada para autorizar a prática desta ou daquela religião?"

Acusação sem fundamento

Khelloudja Khalfoun, uma famosa advogada de direitos humanos e nativa de Tizi Ouzou, local que fica a 200 milhas a oeste de Tiaret, concordou em aceitar o caso de Habiba Kouider depois que advogados locais se recusaram a representar a moça cristã.

Este ano uma lei de fevereiro de 2006 regulamentando cultos não-muçulmanos foi citada em várias prisões e julgamentos de cristãos argelinos. A legislação, conhecida como Lei 06-03, criminaliza o proselitismo de muçulmanos, assim como a distribuição, produção e armazenamento de material usado para este fim.


Bíblia ecológica incentiva ação cristã pelo meio ambiente

Despertar as igrejas para os cuidados com o meio ambiente e estimular a ação consciente dos cristãos são os principais objetivos da EcoBíblia – a primeira Bíblia ecológica do mundo. A novidade foi lançada pela editora da Sociedade Bíblica do Brasil e destaca os princípios bíblicos como instrumento de educação socioambiental e de conscientização dos leitores. A EcoBíblia foi desenvolvida pela SBB dentro do projeto de Bíblias de Afinidade e terá uma tiragem inicial de 3 mil exemplares.

A obra é inédita e foi solicitada pelo Instituto Instituto Gênesis 1:28 com o propósito de anunciar as Escrituras Sagradas como instrumento de resgate e preservação social e ambiental. Além do texto bíblico, a EcoBíblia contém recursos como "A Carta da Terra" e textos sobre Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Cidadania e Responsabilidade Social, quatro temas que norteiam o programa Igreja Verde.

"Não temos qualquer pretensão de acrescentar absolutamente nada à Bíblia Sagrada, queremos apenas mostrar e ajudar as pessoas a entenderem sua perfeição, que trata de forma muito clara e explícita da consciência e de nossas responsabilidades sobre a Criação de Deus", afirma Valter Ravara, diretor executivo do Instituto Gênesis.

Segundo Ravara, fala-se muito de meio ambiente nos dias de hoje, mas ainda falta uma ação por parte das igrejas. "Nós, cristãos, temos de nos conscientizar que Deus criou um grande jardim e nos colocou aqui para cuidarmos disto. A Igreja Verde quer levar educação ambiental a partir da teologia bíblica e propor ações, como a criação de um ministério do meio ambiente em cada igreja. E a Bíblia é um instrumento fortíssimo nesta empreitada".

Para o secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, Erní Seibert, a Bíblia Sagrada estimula o ser humano a praticar "a esperança de um futuro melhor na vida que estamos vivendo". E acrescenta: "Ler a Bíblia sob esses olhos é um exercício desafiador que nos desperta para novas práticas, de responsabilidade com o próximo, com o mundo em que vivemos e de paz com Deus".

Outro diferencial da obra inédita recém-lançada é a conformidade ambiental de sua produção. "Além de o miolo ser produzido de forma ambientalmente correta, com papel certificado, a encadernação brochura leva laminação fosca biodegradável e o encarte é impresso em papel reciclado no processo Aquacolor", destaca o secretário da SBB. A EcoBíblia tem texto bíblico na Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH), uma tradução com estrutura gramatical e linguagem mais próxima da falada pelo brasileiro, que se mantém fiel aos originais bíblicos.

Fonte: Agência Soma / Gospel +

“Copistas” vão transcrever a Bíblia em três meses

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) instala e abre, hoje, o primeiro "scriptorium" no Museu da Bíblia, em Barueri, e inaugura o IV Fórum de Ciências Bíblicas, sob o tema "A Bíblia e o Universo do Conhecimento", no mês em que o organismo completa 60 anos de existência.
O projeto da Bíblia Manuscrita prevê a instalação de "scriptorium" em várias cidades do país. "Scriptorium" eram os recintos onde os copistas transcreviam o texto bíblico.

A expectativa é transcrever uma Bíblia por Estado brasileiro e ter dois exemplares copiados pela população de todas as regiões do país, totalizando 29 exemplares completos, no período de junho a setembro.

O projeto da Bíblia Manuscrita pretende mobilizar 900 mil pessoas em todo o país. Voluntários auxiliarão "os copistas" a transcrever o conteúdo da Bíblia na seqüência correta. Cada participante poderá copiar até dois versículos, permitindo, assim, a contribuição de um grande número de copistas.

A iniciativa também tem um cunho social, uma vez que o projeto vai recolher doações – R$ 1,00 (0,70 dólar) por versículo copiado – para o programa "Inclusão do Deficiente Visual", mantido pela SBB e que atende 2,5 mil pessoas.

A SBB declarou 2008 como o Ano da Bíblia, em comemoração aos 60 anos da entidade. As manifestações pelo Ano da Bíblia incluem maratonas de leitura bíblica, realizações de sessões solenes em órgãos públicos em homenagem à Bíblia.

Fonte: ALC / Gospel +