segunda-feira, 9 de junho de 2008

Arqueólogos encontram, no norte da Jordânia, o que dizem ser a 1ª igreja cristã do mundo

Pesquisadores acreditam que local abrigou os discípulos de Jesus Cristo.
Área serviu de abrigo para oração para os cristãos quando sua religião ainda era perseguida.

Um grupo de arqueólogos acredita ter descoberto "a primeira igreja cristã do mundo" na localidade jordaniana de Rihab, 40 quilômetros ao nordeste da capital Amã, revelou o chefe do Centro de Estudos Arqueológicos local, Abdul Qader Hussan, ao jornal "Jordan Times".

"Localizamos o que acreditamos ser a primeira igreja cristã do mundo, construída entre os anos 33 e 70 de nossa era", disse o arqueólogo na entrevista.

O templo está soterrado e sobre ele foi construída outra igreja, que ainda está de pé, em honra a São Jorge.

"Trata-se de uma descoberta incrível, pois temos provas que nos fazem acreditar que o prédio recebeu os primeiros cristãos e os discípulos de Jesus Cristo" mencionados pelo evangelista Lucas, afirmou Hassan.

Segundo o arqueólogo, a caverna subterrânea serviu de residência e local de oração para os cristãos quando sua religião ainda era perseguida.

"Acreditamos que não deixaram a caverna até que os romanos abraçaram o cristianismo", acrescenta Hassan, que acredita que a Igreja de São Jorge teria sido construída nesta época.

Assim, o templo teria servido de abrigo aos 70 discípulos de Jesus Cristo que, segundo a tradição, foram obrigados a fugir de Jerusalém por causa das perseguições religiosas para se refugiarem no norte da atual Jordânia, principalmente em Rihab.

De fato, a Igreja de São Jorge tem um mosaico no qual menciona "os 70 amados de Deus".

Segundo a descrição de Hassan, o templo tem poucos degraus, sua estrutura é circular e conta com vários assentos de pedra para os sacerdotes.

Para o auxiliar do Bispo da Arquidiocese Grega Ortodoxa da região, Archimandrite Nektarious, a descoberta é "um marco importante para todos os cristãos do mundo" e lembrou que a única caverna semelhante em forma e propósito se encontra em Tessalônica, na Grécia.

Além disso, o especialista destacou o valor dos objetos encontrados em um cemitério próximo à caverna.

"Encontramos objetos de cerâmica que datam de um período entre os séculos III e VII. As descobertas mostram que os primeiros cristãos e seus descendentes viveram aqui até a queda dos romanos", declarou Hassan.

Fontes do Ministério do Turismo jordaniano confirmaram que o Governo assumirá o controle da área da descoberta com o objetivo de atrair o maior número possível de visitantes.


Fonte: G1

Mais um grupo de cristãos preso por ajudar vítimas do terremoto, na China

Funcionários da Agência de Segurança Pública (PSB) e da Agência para Assuntos Religiosos (RAB) invadiram a reunião de uma igreja doméstica e detiveram sete dos participantes durante um culto dominical no município de Taikang, província de Henan, no dia 1º de junho. Os cristãos se reuniam para orar e para organizar o envio de ajuda às vítimas do terremoto de Sichuan.

A Associação de Ajuda à China (CAA, sigla em inglês) disse que os funcionários da polícia não declararam o motivo da detenção. Durante os interrogatórios, os policiais queriam saber dos membros quem estaria levando doações à área de desastre do terremoto.

Foram soltas uma mulher e uma criança, porém os outros seis permanecem detidos sob a acusação de enviar dinheiro para uma área de desastre em nome de uma igreja doméstica. Funcionários do PSB e da RAB alegaram que eles não libertariam esses detidos até que cada um pagasse 1000 iuans (R$ 234).

A CAA também soube que, no dia 28 de maio, dois cristãos do município de Hua, na província de Henan, foram detidos por "obstrução ao trabalho de ajuda ao terremoto". Uma pessoa foi libertada no dia 2 de junho depois de pagar uma multa de 500 yuans (R$115) e mais de 4000 iuans (R$ 936,50) para oficiais do PSB. Soube-se que outra pessoa foi solta no dia 3 de junho.

"As igrejas domésticas têm o direito de fazer obras beneficentes para prover alívio às vítimas do terremoto", disse presidente da CAA, Bob Fu. "Nós urgimos o governo de Henan para que mude sua mentalidade e páre de discriminar os que continuam fazendo boas ações.

Incursão a seminário

Foram divulgadas ainda mais informações sobre o caso relativo ao ataque ao seminário que ocorreu em uma igreja doméstica na cidade de Weifang, província de Shandong.

O diretor Lu Zhaojun, o professor Zhang Yage e o professor Jin Xiuxiang também foram libertados no dia 28 de maio. Porém, quando Lu e o professor Jin Xiuxiang voltaram ao escritório do PSB às 8h da manhã do dia 2 de junho para saber sobre os documentos oficiais e os bens confiscados, incluindo um cartão de banco no valor de 3000 mil iuans (R$702) e um mini furgão, eles foram presos novamente e condenados a um mês de detenção por supostamente terem cometido uma operação empresarial ilegal.

Não foram devolvidos itens confiscados do seminário como Bíblias e literatura cristã, nem o furgão e nem o cartão bancário que seria trocado por dinheiro. A CAA diz que nos últimos anos, o governo chinês vem usando a acusação de "operação de negócio ilegal" contra cristãos de igrejas não registradas.


Fonte: Missão Portas Abertas
www.portasabertas.org.br