quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Denúncias de agressão a mulheres sobem para 121 mil no primeiro semestre

Denúncias por telefone aumentaram 107% em relação aos seis primeiros meses de 2007. Ibope aponta que 68% da população conhece Lei Maria da Penha.

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres divulgou nesta quinta-feira (7) um levantamento mostrando que o número de denúncias pelo 180 – número da central de atendimento à mulher – aumentou de 58,4 mil no primeiro semestre de 2007 para 121,8 mil no mesmo período deste ano. Isso significa um aumento de 107% nas denúncias de violência doméstica.

A Secretaria divulgou ainda uma pesquisa realizada pelo Ibope e a Themis (Assessoria Jurídica de Estudos de Gênero) mostrando que 68% das pessoas têm conhecimento da Lei Maria da Penha, que pune a violência doméstica contra a mulher. Segundo a pesquisa Ibope, apesar de haver conhecimento generalizado sobre a lei no país, 42% dos entrevistados acreditam que, ao serem agredidas, as mulheres não procuram os serviços de apoio.

A percepção da população pode estar errada, já que o número de atendimentos por telefone cresceu 107% nos os seis primeiros meses do ano.

A maioria das denúncias (61,5%) é feita por mulheres que sofrem agressões diariamente. Outras 17,8% denunciam serem agredidas semanalmente. Desses relatos registrados pelo 180, 5.879 eram de violência física, 104 foram tentativas de homicídio e 2.278 eram ameaças de agressão. Quatro desses registros resultaram em homicídio.

O Distrito Federal é a unidade da federação que mais recebeu denúncias pela central de atendimento. Para cada grupo de 50 mil mulheres, houve 132,8 denúncias. São Paulo vem logo atrás, com 96.4 atendimentos por grupo de 50 mil mulheres.

A maior parte das mulheres que usam o serviço é negra (37,6%), tem entre 20 e 40 anos (52,6%), é casada (23,8%) e cursou parte ou todo o ensino fundamental (32,8%).

A pesquisa Ibope/Themis ouviu 2.002 pessoas com mais de 16 anos, entre os dias 17 e 21 de julho, em 142 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Retirado de G1.com.br

Magno Malta denuncia ameaça de seqüestro e garante guerra contra pedofilia

O senador Magno Malta (PR-ES) denunciou nesta terça-feira (5) ameaças de seqüestro feitas contra ele supostamente pelo traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, atualmente preso na superintendência da Polícia Federal em Campo Grande (MS). Em entrevista coletiva, o senador apresentou à imprensa um informante - encapuzado - que detalhou as denúncias.

Magno Malta explicou que se trata do mesmo informante que auxiliou os trabalhos da CPI do Narcotráfico, que ele presidiu na Câmara dos Deputados em 1999 e 2000. De acordo com o senador, todas as informações por ele repassadas à época foram confirmadas.

O informante relatou que a ameaça de seqüestro partiu da irmã de Fernandinho Beira-Mar, Alessandra. Pretendendo enviar um recado a um deputado que tentava localizar uma moça paraibana que viveria com um dos traficantes da quadrilha de Beira-Mar, ela teria revelado a existência de um plano para o seqüestro de deputados, senadores, juízes ou familiares dessas autoridades para facilitar a fuga de Beira-Mar da prisão. Um dos alvos seria o senador Magno Malta ou uma de suas filhas.

Ela disse que ele está aparecendo muito na televisão, já apareceu muito na época da CPI do Narcotráfico. 'Ele sabe que ele deve pra gente. Então, a gente quer a cabeça ou dele ou da filha dele' - relatou o informante, referindo-se ao que teria dito a irmã de Beira-Mar. O traficante Fernandinho Beira-Mar e outros presidiários como o colombiano Juan Carlos Abadía foram transferidos das instituições em que estavam presos na segunda-feira (4) pela Polícia Federal depois que o plano foi descoberto.

Presente durante a entrevista, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), vice-presidente da CPI da Pedofilia, explicou que os seqüestros das autoridades serviriam para desviar a atenção da polícia enquanto a fuga ocorria, ou para o uso dos reféns como moeda de troca.

Magno Malta disse ainda que as ameaças contra ele e sua família já vêm sendo investigadas há quase um mês, pois outro informante, um presidiário, teria feito chegar a ele a informação de que seria seqüestrada a filha de uma "figura do Senado". Inicialmente supôs-se tratar-se da filha de seu chefe de gabinete, mas depois verificou-se que a ameaça era diretamente contra o senador.

Para Magno Malta, tais ameaças são uma tentativa de impedir as investigações da CPI. Ele disse que há indícios de ligações entre as redes de narcotráfico e as redes de pedofilia. Levar a denúncia a público, com a presença do próprio denunciante, visa, segundo ele, "melar" o plano dos criminosos.

Isso não vai intimidar a CPI. Nós vamos continuar, não vamos nos calar. Pelo contrário, nós vamos fundo. Temo pelas minhas filhas, mas sei que quem guarda minha família é Deus. A causa é justa - sustentou o parlamentar. O presidente da comissão informou que ele e sua família já estão sob proteção da Polícia Federal.


Senador Magno Malta, acompanhado pelo senador Romeu Tuma, apresenta aos jornalistas um informante, que alertou para um possível seqüestro de sua filha (Foto: José Cruz/ABr)

(Fonte: JusBrasil / oVerbo.com.br)

Hernanes marca em vitória sobre a Bélgica e livra Brasil de tropeço

Jogador evangélico Hernandes salva seleção olímpica do Brasil, com gol aos 33 minutos do segundo tempo, em seu primeiro jogo pelas olimpíadas.

brasil De volta às Olimpíadas depois de um hiato de oito anos, a seleção masculina de futebol do Brasil derrotou a Bélgica com muita dificuldade por 1 a 0 nesta quinta-feira, em Shenyang, em um jogo cuja monotonia que remeteu à recente fase da equipe principal do país foi salva por um gol do volante Hernanes já na parte final, quando os adversários já tinham um atleta expulso.

Na estréia olímpica, a equipe de Dunga conseguiu apenas três finalizações certas para o gol, em duas cobranças de falta de Ronaldinho sem perigo para os belgas, além do gol. Ainda pouco para uma seleção que foi à China com a meta de medalha de ouro.

O embate com os belgas na primeira rodada do grupo C do torneio masculino de Pequim também foi marcado pela virilidade em excesso, mais por parte dos europeus, com número de faltas ríspidas acima da média e fartura de cartões amarelos.

Como já sinalizava na curta e atrapalhada fase de preparação para os Jogos, a seleção brasileira apresentou uma série de problemas de ordem tática e técnica, como dificuldade na saída de bola e falta de vias na transição até o ataque. Com um meio-campo que ainda não encontrou nem esboço de caminho, as jogadas de efetividade acabaram saindo em incursões isoladas dos laterais. De quebra, a defesa mostrou vulnerabilidade, principalmente em posicionamento, e passou por alguns sustos.

Grande atração da equipe brasileira nas Olimpíadas, Ronaldinho tentou durante o duelo recuar ao meio-campo para procurar alternativas de jogo, mas a vontade esbarrou no encaixe tático da equipe e ainda na falta de ritmo físico. A partida contra a Bélgica foi a primeira da estrela do Milan em uma competição oficial em quatro meses. Mesmo assim, o astro foi a 'exceção pensante' da criação ofensiva em alguns momentos.

Com o resultado desta quinta-feira, a equipe de Dunga abre três pontos na abertura da disputa do grupo C, que também conta com as seleções de Nova Zelândia e China.

A seleção brasileira volta a campo no próximo domingo, mais uma vez na cidade de Shenyang, onde enfrenta a Nova Zelândia pela segunda rodada do grupo C dos Jogos Olímpicos. Nesse compromisso, uma nova vitória pode já valer a classificação.

O jogo
A primeira oportunidade do jogo foi do belga Mirallas, que se desvencilhou da marcação na área, mas se atrapalhou para finalizar. O Brasil só conseguiu concluir aos 15min, quando Marcelo bateu torto após uma boa tabela entre Rafinha e Diego.

Dez minutos mais tarde, o time de Dunga voltou a ter uma chance em uma cobrança de falta, batida por Ronaldinho por cima do travessão. Logo em seguida, a Bélgica por pouco não abriu o placar, depois que o goleiro Renan dividiu com Mirallas, e a bola sobrou para Fellaini, que não soube aproveitar a liberdade na entrada na área.

Finalmente a seleção conseguiu fazer a bola chegar ao goleiro Bailly aos 29min, em cobrança de falta de Ronaldinho, sem perigo.

No segundo tempo, o Brasil esboçou melhora logo nos primeiros segundos, com boa jogada de Pato pela esquerda, que acabou em arremate errado. O mesmo atacante perdeu boa oportunidade pouco depois, após confusão na área. Na resposta, Mirallas escapou livre da defesa brasileira e quase marcou na saída de Renan.

Mas o Brasil escapou do empate na estréia graças ao volante Hernanes, que avançou ao ataque aos 33min da etapa final, se livrou da marcação e acertou um belo chute alto para definir a vitória da seleção na estréia. A Bélgica ainda teve dois jogadores expulsos por jogadas violentas, sendo um deles antes do gol brasileiro. No final, a arbitragem ainda anulou um gol de Jô, que estava em posição de impedimento.

Brasil
Renan; Rafinha, Alex Silva, Breno, Marcelo; Lucas, Hernanes, Anderson (Thiago Neves), Diego (Ramires); Ronaldinho e Alexandre Pato (Jô)
Técnico: Dunga

Bélgica
Bailly; De Roover, Kompany, Vermaelen; Pocognoli, Fellaini, Vertonghen, Martens (De Smet), Tom de Mul (Vanden Borren); Mirallas (Simaeys) e Dembele
Técnico: Jean-François Desard

Auxiliares: Mohammed Al Ghamdi (SAU) e Hamdi Al Kadrie (SIR)
Cartões amarelos: Hernanes, Anderson, Breno (BRA); Mirallas, Kompany, Pocognoli (BEL)
Cartão vermelho: Kompany e Fellaini (BEL)
Gols:Hernanes, aos 33min do 2º tempo