quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ativistas cristãos são presos com bandeira « Jesus é Rei ».

CHINA - Autoridades prenderam por dez horas três ativistas cristãos americanos que estavam fazendo uma manifestação na Praça Tiananmen

O reverendo Pat Mahoney, da Coalizão de Defesa ao Cristão em Washington; Brandi Swindell, da Geração Vida (Life Generation) de Boise, capital de Idaho; e Michael McMonagle, diretor nacional do Geração Vida, conseguiram se ajoelhar e orar, mas foram levados sob custódia no dia 6 de agosto após exibirem uma bandeira onde se lia em inglês e chinês: "Jesus Cristo é Rei".

Policiais à paisana foram ao encontro dos três manifestantes e discretamente tentaram levá-los para outro lugar. Diante da insistência dos cristãos em ficar, mais e mais policiais vestidos com roupas informais começaram a chegar, formando um aglomerado ao redor dos cristãos.

Muitos apareceram com guarda-chuvas e os colocaram bem em frente à bandeira com os dizeres, numa tentativa de evitar que as pessoas percebessem o manifesto.

Vídeos mostram a discrição das autoridades chinesas

No youtube é possível ver algumas imagens distantes do momento em que os policiais à paisana abordam os cristãos. O autor do vídeo também foi identificado e preso pela polícia chinesa. Acompanhe abaixo um vídeo do protesto em que um policial de bermuda aparece:



E outro mostrando um aglomerado de pessoas ao fundo:



Os cristãos foram interrogados, tiveram seus vistos suspensos, celulares confiscados e foram obrigados a pagar US$ 2 mil para retornarem aos Estados Unidos, numa espécie de multa e convite forçado para deixarem a China.

"Esse é o momento de expor as práticas repressivas da China”, disse Bandi Swindell. O objetivo do protesto, segundo ele, foi mostrar a perseguição religiosa e os abusos aos direitos humanos, como a política do governo chinês de forçar que as cidadãs abortem.

O grupo estendeu a bandeira com os dizeres cristãos na praça onde em 1989 estudantes foram mortos em um massacre quando pediam por democracia.

Fonte: Portas Abertas

Padre britânico admite 27 casos de abuso sexual de meninos

Um padre que abusou sexualmente de meninos em um colégio católico em Manchester, no norte da Inglaterra, nas décadas de 70 e 80, admitiu 27 casos de abuso de crianças em um tribunal, nesta terça-feira.

William Green, de 67 anos, admitiu abusar de crianças com idades entre oito e 16 anos.

Green participou de aulas de educação física no Colégio St Bede, em Manchester, quando os casos de abuso ocorreram, e também trabalhou em outras escolas.

Ele deve receber uma sentença em um tribunal de Manchester no dia 30 de setembro.

Vítimas

Green (foto) foi acusado de 33 casos de atentado ao pudor contra nove meninos com menos de 16 anos.

Ele admitiu culpa por 27 das acusações relacionadas a sete vítimas.

Um porta-voz da Igreja Católica na Grande Manchester disse: "Nós temos cooperado com as autoridades desde o começo da investigação."

"É lamentável quando alguma coisa como esta acontece. Nossa prioridade e preocupação é sempre com as vítimas."

Fonte: O verbo