terça-feira, 23 de setembro de 2008

Televisão Nacional condenada por discriminar evangélicos

Em resolução histórica, a Corte de Apelações de Santiago condenou a Televisão Nacional do Chile (TVN) por discriminar a comunidade evangélica e atingi-la “em sua honra coletiva” pela maneira caluniosa que o pastor Luiz Hernández, de Licantén, foi tratado no programa “Isto não tem nome”.

De acordo com a sentença, a Televisão Nacional deverá pagar multa imposta pelo Conselho Nacional de Televisão (CNTV), organismo que sancionou o canal público depois da reclamação apresentada pelo advogado Raúl Romero, representando o pastor Hernández.

A emissora de televisão tentou reverter a sanção imposta pelo CNTV e, por isso, dirigiu-se à Corte de Apelações de Santiago. O tribunal não acolheu a proposta da TVN por entender legal e na medida a sanção aplicada pelo Conselho.

No dia 30 de maio de 2007, o programa "Isto não tem nome", conduzido pelo jornalista Iván Núñez, acusou o pastor evangélico de enganar 45 pessoas de Licantén na tramitação de um crédito bancário. No entanto, por não sustentar a tese do furto, a reportagem ficou focada em questões relativas ao rito evangélico, situação que culminou com a ridicularização das formas de culto protestante.

O advogado Raúl Romero assumiu a defesa do pastor e, na demanda apresentada ante aos tribunais de justiça, acusou a TVN de "menosprezar grave e gratuitamente a dignidade do pastor Luis Hernández Avilés e, por extensão, a de sua família e da confissão religiosa à qual pertence".
Fonte: ALC