segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Projeta busca resgate de travestis e prostitutas

Projeto CAfé da MAdrugada mostra o amor de Jesus sem preconceitos. O momento foi todo especial, regado de boas conversas, muitas gargalhadas, deliciosas pizzas, amor cristão, oração e textos bíblicos “Estando Jesus em casa, foram comer com ele e seus discípulos muitos publicanos e pecadores” (Mateus 9:10)

Foi na última quinta-feira (18/09) que o Projeto CAMA (Café da Madrugada) realizou a noite da pizza. Este projeto existe há quase um ano e meio e visa exclusivamente o resgate físico, emocional, social e espiritual dos profissionais do sexo (travestis e garotas de programa), através do compartilhar da Palavra de Deus e do amor de Jesus demonstrado – sem preconceitos - por seus missionários urbanos.

Depois de um tempo de oração na Igreja Evangélica Irmãos Menonitas do Jabaquara, os integrantes do CAMA saíram às ruas, por volta das 20h30, para encontrar com as pessoas que já haviam sido convidadas de antemão para o evento.

O grupo tinha um total de 15 participantes, incluindo membros do projeto, profissionais do sexo e outras pessoas de comunidades distintas que têm apoiado o trabalho.

Após chegarem em uma boa pizzaria da região, o momento foi todo especial, regado de boas conversas, muitas gargalhadas, deliciosas pizzas, amor cristão, oração, textos bíblicos e muitas fotos.

Na ocasião, o pastor Neto (Igreja Cristã da Redenção) foi quem trouxe uma meditação intitulada O sonho de liberdade e, ainda, entregou algumas lembranças artesanais, feitas por ele mesmo, as quais serviram de ilustração para a mensagem trazida. Outros membros de sua comunidade estiveram presentes e puderam compartilhar dos momentos agradáveis daquela noite.

O evento foi encerrado com uma oração de agradecimento pela vida de todos os presentes e um pedido especial, de proteção, para essas pessoas que levam vidas tão difíceis e, como se não bastasse, sofrem o preconceito da sociedade, que se esquece de que Jesus também morreu por elas.

Pr. Renato de Oliveira (Igreja Ev. irmãos Menonitas do Jabaquara)
Manonitas.net

ERRO DE INTERPRETAÇÃO: Homem decepa mão e pênis dizendo ter feito a mando de Deus

Um caso automutilação chocou a vizinhança da Rua Ruy Pupo Campos Ferreira, no Jardim Londres, em Campinas, no fim da manhã deste domingo de eleição. O jovem Joel Lima de Almeida, de 22 anos, cortou o próprio pênis e, em seguida, decepou a mão direita com uma faca de cozinha. Com muito sangue nas roupas, ele foi encontrado caído no banheiro pelo irmão, Joaquim, que havia chegado do trabalho por volta das 11h30 da manhã.
 
Até então, nenhum dos vizinhos havia ouvido sequer um grito ou pedido de ajuda vindo da residência. 'Meu pai mora na casa ao lado e tem também o vizinho da frente. Nenhum deles ouviu nada. Se não fosse o irmão pedir por socorro, ninguém ia perceber o que se passava', conta o proprietário do imóvel no qual Joaquim vive e onde Almeida, que o visitava às vezes, foi encontrado, Marcos Antônio Ivanof, de 45 anos.

Segundo ele, quando chegou na casa, que fica nos fundos, encontrou o chão da pequena área externa da residência, em volta do tanque de lavar roupas, repleto de sangue e com a faca e os membros do jovem no chão. O sangue também jorrou nas paredes e as gotas seguiam para dentro da residência, de apenas três cômodos - cozinha, banheiro e quarto - até a cama e também próximo ao vaso sanitário.

Morador da residência ao lado, o sapateiro Norival Machado, de 61 anos, foi quem levou, com seu Uno, o rapaz e os membros decepados para o hospital Celso Pierro. Quando Joaquim o chamou, inicialmente ele não havia entendido exatamente o que havia acontecido. 'Quando vi o garoto sangrando e quase inconsciente, coloquei os dois no banco da frente e corri para o hospital. Durante o caminho Joaquim perguntou ao irmão duas vezes porque ele havia feito aquilo, e ele respondeu 'Porque Deus quis'', narra o sapateiro. Uma bíblia foi encontrada aberta sobre a mesa, junto a um prato de comida.

Fonte: Cosmo com Nota da redação de gospelmais.com.br

Nota da Redação Gospel+: Joel Lima de Almeida se auto mutilou provavelmente por ter interpretado de forma totalmente literal o versículo que está em Mateus 5:29 "Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno". Mateus 5:29

A fé diminui a dor

Pesquisadores britânicos divulgam estudo segundo o qual pessoas com forte sentimento religioso estariam mais imunes à dor.

Pesquisadores britânicos das prestigiadas universidades de Oxford e Cambridge descobriram que o sentimento religioso pode aliviar a dor física. Em pesquisa divulgada pelo jornal The Guardian, os pesquisadores revelaram que analisaram as reações de 24 pessoas – doze deles cristãos praticantes e os outros 12 assumidamente não crentes – diante de vários estímulos visuais e sensoriais. Os doze devotos manifestaram melhor controle involuntário sobre as estruturas cerebrais que controlam o sentimento de dor.

Num dos testes, os voluntários foram orientados a observar atentamente duas imagens. Uma delas, a pintura Virgem Maria Sassoferrato, do século 15, tem forte conotação religiosa; a outra, do gênio Leonardo da Vinci, mostra uma mulher e um arminho. Em seguida, todos receberam pequenas descargas elétricas, devendo indicar, numa escala de zero a 100, a intensidade da dor sofrida. Os devotos sentiram proporcionalmente menos desconforto físico do que os outros. Os cientistas passaram, então, à segunda fase da pesquisa e analisaram as ressonâncias magnéticas dos cérebros dos voluntários. Os dois grupos mostraram diferenças substanciais: só nos cérebros dos crentes uma área conhecida como córtex pré-frontal ventrolateral, zona relacionada com a regulação da dor, se ativava depois de verem a imagem religiosa.

A conclusão do estudo sugere que a crença religiosa produz um efeito semelhante ao placebo. “As pessoas com mais fé reinterpretarem a dor, percebendo-a de maneira menos ameaçadora. Estas pessoas sentiam-se seguras ao contemplarem a imagem religiosa, como se ficassem mais protegidas”, explicaram os investigadores. Os pesquisadores dizem ainda que este não é um efeito exclusivamente da religião, e que provavelmente outros exercícios mentais, como a meditação, proporcionam o mesmo bem estar.

Fonte: Cristianismo Hoje

Irã liberta convertidos, mas tensão continua

A polícia iraniana libertou dois convertidos ao cristianismo, detidos sob acusações de apostasia (abandonar o islamismo).

A libertação se deu uma semana depois de o governo iraniano decidir, em maioria de votos, pela criação de uma lei que introduza a pena de morte a quem abandonar o islamismo.

Mahmoud Mohammed Matin-Azad, 53, e Arash Ahmad-Ali Basirat, 40, foram detidos em maio por terem abraçado a fé cristã.

Andy Dipper, diretor do grupo Release International, que monitora a liberdade religiosa, comentou a boa notícia com palavras cautelosas.

"Estamos encantados com o fato de o Irã ter retirado as acusações contra esses homens. No entanto, há provas de que as coisas ficarão cada vez pior para outros iranianos que buscam liberdade de mudar de religião” – disse Andy.

A libertação deles se deu uma semana após a União Européia emitir uma declaração que exigia que o presidente iraniano reconsiderasse o debate sobre a lei que prevê pena de morte para a apostasia. A declaração também exigia a liberdade de pessoas presas com base em sua filiação religiosa.
Fonte: Portas Abertas