quarta-feira, 8 de outubro de 2008

ÍNDIA: Casal cristão assassinado e casas queimadas em Orissa

flag-of-india Um casal cristão foi assassinado, uma mulher encontrada morta, inúmeras casas e igrejas foram queimadas e bombas de baixa intensidade explodiram em um campo de refugiados na semana passada em Kandhamal, uma cidade do Estado de Orissa. Lá, a violência de extremistas Hindus começou há mais de um mês.

No domingo, dia 28 de setembro, a polícia encontrou em um rio o corpo de Priyatamma Digal, uma auxiliar de enfermagem e parteira. Na segunda-feira, o corpo de seu marido, Meghanath, foi resgatado. De acordo com o jornal The Times of India, o casal cristão foi morto na quinta-feira anterior, dia 25 de setembro.

Os ataques as aldeias de Rudangia, Telingia e Gadaguda em Kandhamal, que foram realizados por grupos armados não-identificados na manhã do dia 30 de setembro, resultaram em mais de cem casas queimadas e na morte de Ramani Nayak, da aldeia de Rudangia, informou o jornal The Hindu. Sua associação religiosa não foi identificada até o encerramento da matéria.

Oito pessoas ficaram gravemente feridas nos ataques, segundo os relatos, e cerca de 20 pessoas sofreram ferimentos leves.

Ontem, explosões de bombas abalaram três campos de refugiados de Kandhamal, na região de Nuagaon, na aldeia Mahasinghi e na cidade de Baliguda, segundo informou o órgão de notícias Press Trust of India (PTI).

O ocorrido não causou vítimas, mas as explosões deixaram os demais residentes dos campos de refugiados temendo por suas vidas.

“Já que eles foram bem sucedidos em explodir bombas em local próximo aos campos de refugiados, que são bem protegidos, não há garantias de que as próximas explosões não ocorram em outros campos”, afirmou um refugiado ao PTI.

Ataques com machados

O jornal The Times of India também informou que cinco casas foram incendiadas no quarteirão de Phirigia em Kandhamal (jurisdição da polícia de Gochhapada) no domingo à noite.

Em 25 de setembro, cerca de 700 pessoas armadas com machados, espadas e barras de ferro atacaram a Casa dos Missionários da Caridade na aldeia de Sukananda em Kandhamal, reportou a agência Asia News.

No final do dia 24 de setembro, uma multidão atacou cerca de 30 residências e duas casas de oração na aldeia de Simanjodi e outras 50 casas na aldeia de Batingia, informou o jornal The Indian Express.

No povoado de Rakingia, uma equipe do grupo de rápido combate ao desastre de Orissa (ODRAF) foi atacada. Eles haviam ido lá para desobstruir estradas. O ataque forçou a escolta policial a abrir fogo, acrescentou o jornal.

“Dois tribais foram supostamente mortos”, publicou o jornal. “Fontes disseram que tribais com arcos e flechas dispararam um ataque contra ODRAF.”

De acordo com o Conselho Geral dos Cristãos da Índia (AICC), pelo menos 57 pessoas foram mortas, mais de 18 mil feridas e mais de 4.300 casas, 150 igrejas e 13 instituições educacionais foram destruídas desde a eclosão de violência em Orissa, iniciada em 24 de agosto. Duas mulheres cristãs foram estupradas.

A violência, que depois se espalhou para pelo menos 14 regiões de Orissa, deixou mais de 50 mil pessoas sem abrigo.

Retirado de Missão Portas Abertas
www.portasabertas.org.br

Guitarrista Carlos Santana quer ser pastor

Carlos O guitarrista Carlos Santana afirmou, em entrevista à revista Rolling Stone que deseja reformar-se aos 67 anos e começar uma carreira de pastor numa igreja no Havaí.

O músico de 61 anos encontra-se em turnê pelos Estados Unidos e prepara-se para lançar um novo disco, mas os planos para o seu futuro passam por uma vida mais pacata e com uma ligação mais forte à religião.

"Vou parar de tocar guitarra aos 67 anos e trabalhar no que realmente quero fazer, que é ser pastor, como o Little Richard", disse.

Santana falou da fé que o tem acompanhado ao longo da vida e que o tem ajudado nos momentos mais difíceis, como o recente divórcio da sua mulher Deborah, que pôs fim a uma relação de 34 anos.

"Não estou farto do que faço, mas penso que Deus deu-me a dádiva da comunicação, mesmo sem a minha guitarra", afirmou Santana. O músico mexicano disse ainda que quer ajudar as pessoas a perceber melhor "algumas passagens da Bíblia" relativas à "culpa, vergonha, julgamento e medo".

O novo disco de Santana, um best of de dois CDs, chega às lojas a 13 de Outubro. «"Multi-Dimensional Warrior" é uma compilação dos maiores êxitos de uma carreira de mais 40 anos.

Fonte: diario.iol.pt

Mais de 3.300 se convertem em evento americano

Apesar de estar seguro acerca do lugar do seu filho no Céu, o evangelista Greg Laurie confessou a milhares de pessoas em Filadélfia que ele nunca estará em paz com a morte do filho.

Da mesma forma, ele nunca estará em paz com a sua própria morte ou de quem quer que seja, disse, porque “a morte é o inimigo.”

Laurie falou a cerca de 45.500 pessoas no Centro Wachovia, em Filadélfia, onde dirigiu pela segunda vez o evento evangélico de três dias, Harvest Crusade, desde a morte do seu filho mais velho, Christopher.

Nos meses seguintes à morte de Christopher em 24 Julho, Laurie tem lançado pensamentos e memórias em blogues acerca do seu filho, e como Laurie olhou para a sua fé Cristã enquanto sobrevivia à tragédia.

“Os pais querem sempre proteger, dar e ‘reparar as coisas’. Mas eu não consigo ‘reparar’ isto. Não consigo trazê-lo de volta,” escreveu Laurie num blogue em Agosto.

“Mas agora, ele já não precisa mais da ajuda do pai. Hoje ele está com o seu Pai celeste que – escusado será dizer – faz um trabalho muito melhor do que o seu pai terreno alguma vez poderia fazer,” acrescentou.

Cristopher tinha 33 anos quando morreu num acidente de carro, menos de um mês antes do início das Harvest Crusades de 2008.

Mensagens acerca da efemeridade da vida e sobre o Céu e Inferno ecoaram em Anaheim e, agora, em Filadélfia. Uma “conversa terra-a-terra sobre o Céu” foi o tema de Harvest deste ano, até mesmo antes do acidente em Julho. Mas a súbita perda do seu filho tornou a mensagem mais pessoal e ainda mais urgente do que a actual crise financeira.

“Quero falar dos assuntos mais relevantes... que são mais importantes do que a prestação da Bolsa, mais importante do que como está o correr o seu dia ou como está a sua carreira,” afirmou Laurie perante a multidão de Harvest, na Sexta-feira.

“Estes são os assuntos mais importantes que alguma vez iremos discutir juntos porque... a vida na terra… é como o flash de um relâmpago,” sublinhou.

Embora ainda sofrendo pelo desaparecimento do filho, Laurie deu boas notícias aos milhares de pessoas que se reuniram, dizendo-lhes que a morte não tem a palavra final.

“Deus tem a palavra final,” frisou o evangelista, que fez questão de mencionar: ele não é um pregador do apocalipse, mas um pregador de Jesus.

“Cristo superou a morte porque Ele morreu na cruz e viveu de novo... Quando um crente de Jesus morre, passa de imediato à presença de Deus.”

Foram 3.365 pessoas as que decidiram aceitar Cristo durante o evento decorrente de 3 a 5 de Outubro. A terceira e última data da Harvest Crusade 2008 está agendada para 19 de Outubro em Nova Iorque.

Fonte: Gospelmais

Ex-cantora Gospel americana hoje canta uma música chamada "Eu beijei uma garota"

A canção mais picante do pop atual foi escrita por uma ex-artista gospel. Katy Perry, que nos tempos de moça carola atendia pelo nome de Katy Hudson, é autora de I Kissed a Girl, que traz os versos: "Eu beijei uma garota e gostei/ Do gosto do seu brilho de cereja/ Eu espero que meu namorado não fique cha-tea-do". A música ficou dois meses no topo da parada dos Estados Unidos – e ganhou inimigos. Os moralistas a odeiam porque estaria levando as moças para o mau caminho. A comunidade gay torce o nariz porque Katy a teria composto para faturar alguns trocados, e não em nome da causa lésbica (o que ela não é). As reações mostram que a canção é provocante, ainda que de maneira bem pouco arriscada. O jeito de cantar de Katy Perry não força na sensualidade e o videoclipe de I Kissed a Girl é de uma pureza ímpar – em nenhum momento a cantora chega a realizar sua fantasia. A ousadia das mulheres cantoras, contudo, cobre um espectro bem mais amplo ao longo da história. Muitas vezes, elas se viram de fato em apuros apenas por interpretar uma canção.