quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Famoso comediante americano faz polêmico filme ironizando várias religiões

No novo filme estrelado por Bill Maher, "Religulous", o comediante diz que quer que descrentes como ele "saiam do armário" e contestem o que ele afirma ser a influência perigosa da religião sobre o mundo. A julgar pelas críticas e reações do público testemunhadas em alguns cinemas americanos no fim de semana, é possível que tudo o que Maher tenha conseguido com seu filme, que ironiza o cristianismo, o judaísmo e o islã, é pregar aos já convertidos.

O LA Times disse em sua resenha: "Porque (Maher) quer acima de tudo divertir, ele formula suas perguntas não a pensadores religiosos sérios, mas aos malucos de diversos tipos que povoam as margens da religião, assim como povoam as margens do ateísmo". "O humor que ele cria às expensas deles não prova nada, a não ser que dar as cartas com um baralho arranjado só beneficia a quem as dá".

O filme, que estreou no fim de semana em cerca de 500 cinemas norte-americanos, com bilheteria de 3,4 milhões de dólares, encontrou ressonância entre os "convertidos" de Maher, mas enfureceu alguns fiéis. Num cinema em um subúrbio de Dallas, na sexta-feira, o público aplaudiu quando os créditos começaram a aparecer na tela - um fato raro. "Foi divertido, mas também profundo", disse o técnico de informática Ryan Karakani, 23 anos, de ascendência iraniana mas cujo avô foi pastor anglicano. Em Phoenix, o público do dia de estréia vaiou e gargalhou durante os 101 minutos do filme, e vários espectadores disseram mais tarde que o acharam divertido, edificante e um consolo.

A diretora de recursos humanos Tracey Ewens, que se descreveu como "espiritualizada, mas não religiosa", o filme "mostrou o absurdo das religiões convencionais". Mas outras pessoas não acharam tão divertidas as perguntas que Maher fez de surpresa a um ator que representava Jesus num parque temático cristão na Flórida, a um rabino anti-sionista e a um político do Arkansas que questiona a teoria da evolução. Vários de seus alvos eram evidentemente pessoas que vivem às margens da religião, como um pregador de Porto Rico que afirma ser uma nova encarnação de Jesus Cristo.

Algumas das cenas foram evidentemente editadas para fazer as pessoas parecerem tolas. Em entrevista dada no mês passado no Festival Internacional de Cinema de Toronto, onde "Religulous" fez sua estréia, o diretor do filme, Larry Charles, disse que a intenção principal não foi fazer um estudo sério de questões religiosas. "Nosso critério principal foi fazer o filme ser divertido, e o divertido transcende a maioria das crenças. Se fizermos o público rir, teremos realizado nosso objetivo", disse ele.

Fonte: Gospel Mais

Sacerdote católico é preso por abusar de meninos

Dois homens, incluindo um sacerdote católico, foram detidos na Austrália acusados de 35 crimes de abuso sexual contra adolescentes e crianças cometidos desde 1970, informou a polícia local.

O religioso de 63 anos, que vive na cidade de Newcastle, foi acusado de 22 crimes de assédio cometidos contra dois irmãos quando eles tinham 12 anos.

O outro homem, que tem 56 anos, foi acusado de 13 crimes de abusos sexuais contra um dos dois irmãos e outros dois jovens, que na época dos delitos tinham 13 e 14 anos.

Este é o terceiro sacerdote de Newcastle acusado de abusar de crianças este ano. Na semana passada, Paul Raymond Evans, um antigo sacerdote católico de 57 anos, foi condenado a 15 anos de prisão por abusos sexuais em Sydney.

Até agora, 107 membros da Igreja Católica foram condenados na Austrália por abusos sexuais contra cerca de mil vítimas, segundo a organização Broken Rites.

Fonte: Terra

Situação na Índia fica cada vez mais difícil para os Cristãos

Milicias de fundamentalistas hindus da VHP - Vishaw Hind Parishat destroem Igrejas cristãs, prontos-socorros, orfanatos, matam pastores, queimam pessoas vivas e expulsam 50.000 cristãos de suas vilas e casas no distrito de Kandhamal, Estado de Orissa, na Índia.

Milhares de famílias estão morando em campos de refugiados ou no meio do mato. A ordem é dos perseguidores é: Só volta para casa quem se reconverter ao hinduísmo. As autoridades indianas no momento estão ocupadas com outras coisas ditas "mais importantes". Por ventura estão esperando que o mal se alastre pelo país inteiro? A terra de Ghandi que defenestrou a Inglaterra de seu território pela uso da não-violência e da greve de fome, agora se esquece dos ensinos do Mahatma e comete todo tipo de barbarismo.

Enquanto isso, os verdadeiros culpados pela morte do líder hinduísta, assassinado em 23 de agosto de 2008, estão nas sombras. As autoridades do Estado de Orissa pela forma pouco convincente de atuação parecem que não se importarem muito com o sofrimento dos cristãos. Eles sofrem e são perseguidos por serem alvo de dois preconceitos ao mesmo tempo: são Dalits e cristãos.

Retirado de Olhar Cristão