quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Chile agora terá feriado do Dia do Evangélico


Com a assinatura da presidente da República, Michele Bachelet, e a participação de bispos e pastores de diferentes igrejas evangélicas e protestantes, foi promulgada na sexta-feira, 10, a lei que estabelece o Dia Nacional das Igrejas Evangélicas e Protestantes, comemorado em 31 de outubro, como feriado no país.

Em ato ocorrido no palácio de La Moneda, a presidente expressou que “a tarefa do Estado é proteger a liberdade de culto e garantir a atividade das igrejas no marco da Constituição. Alegra-nos que o Congresso tenha aprovado este corpo legal e, embora alguns assinalem que a aprovação de um novo feriado represente um importante custo ao país, veremos como compensá-lo, porque entendemos que se trata de um ato de justiça”.

Segundo Bachelet, o Chile deu um passo adiante “ao assegurar a igualdade e a liberdade de culto nos hospitais públicos e nos centros carcerários”. Somado a isso, disse a mandatária, este ano o país realizou um enorme avanço ao estabelecer os capelães evangélicos nas Forças Armadas.

A presidente recordou a figura e a contribuição do bispo Raimundo Valenzuela Arms, bispo emérito da Igreja Metodista do Chile, que faleceu no dia 28 de setembro, nos Estados Unidos, aos 92 anos de idade. Bachelet referiu-se ao bispo como pastor, professor universitário, fundador de obras sociais e estudantis e também como homem comprometido com os direitos humanos.

Através do Comitê Pró Paz, junto ao cardeal Raúl Silva Henríquez e o bispo luterano Helmut Frenz, e muitos outros, Valenzuela Arms defendeu com força o direito à vida de todos. “Estou certa de que ele estaria muito contente no dia de hoje de poder compartilhar esta grande alegria com o povo evangélico”.

A lei 20.299 foi promulgada depois de dois anos de discussões entre o Poder Legislativo e os líderes do povo evangélico protestante. O projeto foi aprovado por unanimidade por ambas as câmaras, estabelecendo o Dia Nacional das Igrejas Evangélicas e Protestantes como feriado.A iniciativa foi dos deputados Enrique Accorsi, Marcos Espinoza, Carlos Jarpa, Fernando Meza, Alberto Robles, Alejandro Sule e Samuel Venegas.

A data escolhida é significativa para as igrejas evangélicas e protestantes, uma vez que elas relembram as 95 teses que o reformador Martinho Lutero pregou na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, em 31 de outubro de 1517. Essa ação do monge da Ordem dos Agostinianos deu início à Reforma protestante.

Fonte: Gospel Mais

Religião é fruto da evolução humana, diz estudo


Um pesquisador norte-americano publicou um artigo na revista científica Nature onde afirma que a religião é um produto da evolução do cérebro humano e que idéias como Deus e comportamentos típicos de pessoas religiosas ocorrem por uma predisposição do cérebro.

Pascal Boyer, do departamento de Psicologia e Antropologia da Universidade de Washington, explicou em seu artigo as formas cognitivas que predispõem o homem a praticar a fé religiosa.

Por exemplo, a tendência a ver Deus como uma figura antropomórfica é explicada pela dificuldade de idealizar e construir uma imagem não física, já que desde criança o homem é habituado a criar figuras semelhantes às reais em sua imaginação.

O pesquisador descreve os rituais religiosos como comportamentos condicionados pelo cérebro humano, classificando-os de comportamentos estereotipados e repetitivos, como os que ocorrem em distúrbios obsessivo-compulsivos, nos quais o fiel acredita ter obrigação de fazer algo por sua crença, mesmo que não traga efeitos reais.

Segundo Boyer, não será descoberto o “circuito do pensamento religioso” ou os “genes da fé”, mas “a religião é um produto da nossa evolução”. “Um dia encontraremos as provas para demonstrar que nossa inata propensão ao pensamento religioso deriva do fato de que nossos antepassados viam nisso uma vantagem seletiva. Pensamentos religiosos parecem ser uma propriedade emergente de nossa capacidade cognitiva padrão”, declarou o pesquisador.

Fonte: Gospel Mais

Ps:. Eu particularmente já cansei de ouvir e postar noticías de ciêntistas achando que são "os donos da razão", falam o tempo todo teorias sobre Deus. Provas de que o mundo foi criado por Deus, que Jesus realmente existiu, e que até a própria Ciência foi criada por ele, um dia serão reveladas; Só acho que esses ciêntistas deviam ficar mais calados e não duvidar do poder de Deus.

Fiel da IURD teve seu nome colocado no SPC pela Igreja por passar cheque sem fundo como dízimo

Pagar dizimo à igreja com cheque sem fundos pode levar o religioso aos cadastros de proteção ao credito. A decisão é da 19ª Câmara de Direito Privado do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo, que negou o pedido de indenização por danos morais de Glaucio Verdi, 35 anos, contra a IURD.

Verdi, após ter dado um cheque de R$1.000, no ano de 2005, para a igreja, em São jose dos Campos (a 91km da capital), foi incluido em listas de devedores - que impedem o acesso ao credito. Com isso, ele foi à justiça e pediu uma indenização no valos de R$300 mil.

No entanto, a justiça entendeu que o dizimo é uma doação regulada pelas normas do Código Civil e que não prevê a dessistência de nenhuma das partes depois de o “negócio” ter sido fechado.

Segundo ao advogado e pai do religioso, Nilson Verdi, seu filho, que deu o cheque para pagar o dizimo, entregou uma carta à igreja pedindo que o dinheiro fosse depositado só depois de dez dias. “Ele dependia da venda de uma moto para ter o dinheiro na conta, mas o pastor não respeitou esse pedido do meu filho e apresentou o cheque ao banco por duas vezes.”

Na Igreja
A decisão da justiça ainda cita que o pastor, por várias vezes, teria afirmado em cultos que o fiel era “um mal cristão que enganou Deus”.
“A igreja ganhou no campo da justiça, mas perdeu no campo da moral”, disse o advogado.
Verdi ainda não conseguiu limpar o seu nome e, segundo seu pai, não frequenta mais a igreja Universal.
Questionada, a IURD informou que está satisfeita com a decisão e que considera que a justiça foi feita.
(Anay Cury)

Devedor Divino
Quem dá cheque sem fundos como dizimo, pode ter o nome incluido nos cadastros de restrição ao crédito, como o Serasa.

Na Justiça
* A IURD enviou ao cadastro de inadimplentes o nome de um fiel de São Jose dos Campos que deu um cheque pré-datado de R$1.000, sem fundos, como dizimo

* O devedor entrou na Justiça contra a inclusão de seu nome na lista de devedores e pediu uma indenização de R$300 mil.

*Segundo o processo, o pastor da igreja teria afirmado por várias vezes, depois de saber que o cheque não tinha fundos, que o fiel era “um mal cristão que enganou Deus”.

Negado
O TJ-SP entendeu que o dizimo é uma doação regulada pelo Código Civil e quenão prevê a Desistência de nenhuma das partes depois de o “negócio” ter sido fechado.

Fonte: Gospel Mais

Padre infecta rede da paróquia ao ver pornôs no Computador

Um padre em Strängnäs, na Suécia, renunciou à direção da paróquia depois que vírus tomaram conta da rede de computadores.

Ele admitiu que ficava "muitas horas do seu tempo de trabalho" vendo pornografia na Internet, e que esperava que isso ficasse apenas entre ele e Deus - o que teria acontecido se "um letal vírus de computador" não tivesse afetado e paralisado toda a rede da paróquia.

O arcebispo Anders Wejryd disse, a respeito do episódio, que os padres são pessoas como todas as outras. "Mas não posso tolerar que alguém sente e fique surfando por pornografia nos computadores da igreja", afirmou, segundo o site The Register.

A porta-voz da oficial da congregação, Charlotta Novosel, confirmou o afastamento do padre: "Ele decidiu se aposentar".

Fonte: Terra

Projeto de lei visa coibir preconceito religioso

As Filipinas Está a um passo de ser aprovado um projeto de lei que proíbe que suspeitos de atividades criminosas sejam identificados por sua religião.

A lei proposta proíbe que a mídia use, ao descrever suspeitos de atividades religiosas o, palavras como “muçulmano”, “cristão” e qualquer outra que denote afiliação religiosa, regional ou étnica.

O projeto de lei, que foi aprovado em sua terceira e última leitura na Câmara, está agora sendo avaliado pelo Senado.

Juan Edgardo Angara, autor do projeto, diz que o uso de “rótulos” pela mídia de massa acaba criando generalizações que afetam todos os membros da comunidade do acusado, pessoas que não têm envolvimento algum com o crime.

Ele lamenta que muitos meios de comunidade continuem usando, de forma insensível, termos como "criminoso muçulmano" e "terroristas muçulmanos" ao descrever pessoas acusadas e condenadas por atividades criminosas.

Segundo essa lei, meios de comunicação que agirem dessa forma serão multados em, no mínimo, 50 mil pesos filipinos (1.040 dólares norte-americanos) para cada incidente.

"Proibir essa prática preconceituosa poderá, definitivamente, contribuir e resultar no aumento do espaço e da compreensão social positivos entre muçulmanos e não-muçulmanos", Angara comentou.

O projeto teve o apoio do Comitê da Câmara para Assuntos Islâmicos.

Fonte: Portas Abertas