quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Filho de Bin Laden solicita revisão de pedido de asilo na Espanha

Omar Osama bin Laden, filho do líder da Al Qaeda Osama bin Laden, pediu hoje a revisão de seu pedido de asilo na Espanha, negado na última quarta pelo Ministério do Interior espanhol e cujo ministro, Alfredo Pérez Rubalcaba, reiterou que não será concedido.

Omar "está deprimido e muito preocupado com sua segurança e a de sua mulher", mas afirma que a recusa do Governo espanhol em aceitar sua solicitação é "somente um primeiro passo", declarou à Agência Efe sua esposa, a britânica Zaina al-Sabah.

A mulher de Omar ressaltou que está na Espanha "muito assustada" pelo fato de seu caso ter sido divulgado e por fotos suas terem sido publicadas, um "equívoco" pelo qual culpa o Ministério do Interior.

Rubalcaba afirmou hoje em entrevista coletiva que não admitirá o pedido de asilo, mesmo no caso de o relatório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) - que, em primeira instância, também se opôs à entrada de Omar no país - ser favorável.

Segundo Rubalcaba, caso a Acnur volte a dizer que não deve ser concedido asilo ao filho do líder da Al Qaeda, o ministério do Interior o devolverá ao Cairo.

"Não é aplicável nenhuma das hipóteses que a legislação espanhola - neste caso, homologável à da União Européia (UE) - prevê para que se possa ter a condição de exilado na Espanha", acrescentou o ministro.

A mulher de Omar, que não revelou seu paradeiro, disse à Efe que está recebendo escolta policial.

"Caso acreditem que preciso de proteção da Polícia é porque reconhecem que estamos em perigo", afirmou Al-Sabah, que considerou que o pior para eles é ter suas imagens na televisão para que todo o mundo os reconheça. "É uma loucura", declarou.

Omar e sua esposa britânica chegaram a Madri no último dia 4 de outubro procedentes do Egito e, na chegada ao aeroporto de Barajas, pediram asilo político.

Assessorados por seus advogados, o casal pediu uma revisão do pedido, baseado nas declarações de Omar no aeroporto e nas provas que apresentou para aprovar seu caso, motivo pelo qual será interrogado de novo pela Acnur e por representantes do Ministério do Interior, que têm 24 horas para tomar uma nova decisão.

"Isto é somente um primeiro passo", declarou Al-Sabah, a quem os advogados explicaram que estes pedidos sempre são rejeitados inicialmente para que as autoridades tenham mais tempo de investigar o caso. Os advogados ainda afirmaram que a resposta final não será conhecida por um ou dois meses.

A mulher de Omar disse que não sabe qual será seu futuro e se poderá se reunir com seu marido. "Se ele vai morrer por isto, quero morrer ao seu lado", concluiu.

Muçulmanos convertidos ao cristianismo exigem o direito de mudar de religião


Um total de 144 cristãos, entre eles 77 muçulmanos convertidos, pediram ontem ao Primeiro Fórum Católico-Muçulmano reunido no Vaticano que obtenham o direito de mudar de religião.

Este grupo pediu às autoridades religiosas presentes a este Fórum que a lei islâmica não seja aplicada aos não muçulmanos, que seja abolida a condição de segunda classe (aos cristãos) e que a liberdade de mudar de religião seja reconhecida como um direito fundamental, entre outras coisas.

Os 150 cristãos, procedentes da África do Norte e do Oriente Médio, fizeram o apelo através da agência “Asia news”.

Segundo a “Asia news”, este grupo denunciou que as condições das minorias cristãs em países islâmicos estão se agravando perante o crescimento do islamismo radical nos últimos tempos.

Acrescentam que os novos cristãos ou os convertidos “não têm direito de expressarem a nova escolha religiosa sob pena de serem condenados por apostasia e obrigados ao exílio”.

Com relação à liberdade de mudar religião, disseram que deve ser reconhecido como um direito fundamental, “um direito que vem de Deus, que não obriga ninguém a adorá-lo”, declararam.

O Primeiro Fórum Católico Muçulmano, que começou na terça, tem como tema “Amor de Deus, amor do próximo” e requintaúne até , no Vaticano, 58 autoridades religiosas, especialistas e conselheiros.

Fonte: G1

Chegou a hora! Esperança para o Brasil


Agora é a vez do Brasil. Depois de passar por mais de 42 países, alcançando excelentes resultados, o Projeto Minha Esperança - em parceria com as igrejas locais - marca a história do Brasil por meio de um uma grande colheita de almas que cremos que haverá nos mais de 500 mil lares registrados no projeto espalhados por todas as regiões. Foram dois anos de trabalho intenso, reuniões de planejamento, capacitação e principalmente muita oração para implantar o projeto no Brasil. Agora, estamos a dias das transmissões dos programas e, felizmente, já tivemos a oportunidade de testemunhar, ao longo desses dois anos de trabalho intenso, testemunhos e relatos de reconciliações e conversões a Cristo em todos os cantos do país.

Mas, a grande colheita acontecerá a partir desta quinta-feira, 6 de novembro, logo após as transmissões dos programas que serão transmitidos em todos os lares do país pela Rede Bandeirantes de Televisão e Rede Boas Novas! E, nas regiões onde não há sinal da Bandeirantes, foram distribuídos DVDs com os programas.

Na primeira noite de programação, dia 6 (quinta-feira), será transmitida uma mensagem com Dr. Billy Graham. Neste dia, o supercraque de futebol Kaká e o ex-jogador César Sampaio darão seus testemunhos. Participações da cantora Fernanda Brum, maestro Roberto Minzuk, piloto Valdeno Brito e da atleta Thaissa Presti fazem parte da programação. A cantora Aline Barros gravou um clip inédito da música “Onde está a esperança?”, feita especialmente para o Minha Esperança.

No segundo dia, 7 (sexta-feira), a mensagem será ministrada por Franklin Graham e o testemunho será da atleta Ciça Maia. Veremos participações do auxiliar técnico da seleção brasileira de futebol Jorginho, do jornalista Percival de Souza, do ex-jogador Evair e do Kaká, além do clip inédito do cantor Paulo César Baruk. E no sábado, dia 8, o filme evangelístico “Compromisso Precioso” encerra as programações.

Vale lembrar que, além da Rede Bandeirantes, a Rede Boas Novas também transmitirá os programas do Minha Esperança Brasil, às 21h, horário de Brasília.

Nas cidades que não estão no horário de verão, os programas irão ao ar às 20h.

Califórnia decide pela proibição do casamento homossexual

Cerca de 18 mil casais do mesmo sexo já subiram ao altar na Califórnia. Proibições também foram aprovadas nos estados do Arizona e da Flórida.

O estado americano da Califórnia aprovou em votação desta terça-feira (4) a emenda constitucional que proíbe o casamento homossexual, segundo a secretaria estadual. De acordo com a agência France Presse, com cerca de 95,8% dos votos apurados, a emenda passou por 52,1% contra 47,9%.

A “Proposta 8″ defende a modificação da Constituição do estado para definir o casamento apenas como a união entre homens e mulheres, o que significaria derrogar a decisão do Tribunal Superior de Justiça da Califórnia, que legalizou as uniões homossexuais em maio. Desde então, cerca de 18 mil casais do mesmo sexo realizaram na Califórnia seu sonho de chegar ao altar.

O texto do referendo propunha a inclusão de uma emenda à Constituição estadual que afirma: “Somente o casamento entre um homem e uma mulher é válido ou reconhecido na Califórnia”.

Paralelamente, duas propostas similares para proibir as uniões homossexuais ganharam com folga nos estados do Arizona e da Flórida nesta quarta.

Sondagem

No estado de 37 milhões de pessoas o “Sim” à Proposta 8 vinha ganhando pontos nas pesquisas desde agosto, quando se intensificou a campanha a favor da medida, que teve como alvo em especial os valores católicos da comunidade latina, que representa mais de 30% da população da Califórnia e que em 2000 votou em maioria contra os casamentos gays em uma consulta similar.

Segundo o Instituto de Políticas Públicas da Califórnia, 52% votariam “Não” à proibição dos matrimônios gays e 44% “Sim” aos casamentos apenas entre um homem e uma mulher, de acordo com resultados da semana passada.

Brad Pitt, Steven Spielberg, Ellen DeGeneres e a multinacional Apple são algumas das celebridades californianas que doaram até US$ 100 mil a favor do “Não”.

Nesta semana, no entanto, estrelas latinas tiveram que entrar na campanha para rebater os argumentos dos patrocinadores do “Sim”.

“Votar “Não” à Proposta 8 é preservar a integridade da igualdade dos direitos neste país. Não se trata de ser gay ou ser heterossexual, se trata de ser americano”, afirma America Ferrera, ao lado de dois colegas latinos da série “Ugly Betty”, Tony Plana e Ana Ortiz.

Conhecido como um reduto do Partido Democrata e progressista, a Califórnia também é o estado que elegeu duas vezes como governador o ator republicano Arnold Schwarzenegger, além de ser a sede de grupos antiimigrantes radicais em bairros próximos da fronteira com o México. Estes últimos grupos também fazem campanha contra o casamento gay.

Fonte: G1