sábado, 22 de novembro de 2008

Christian Hosoi: Ícone do skate larga as drogas após conversão

Ele foi o primeiro ídolo do skate a sair das capas de revistas internacionais e dar o ar da graça em pistas brasileiras. Short de lycra, camisas rasgadas e fitas na cabeça eram suas marcas. Um sinônimo de talento, estilo e irreverência. Eterno rival de Tony Hawk, astro dos videogames e inventor da manobra 900 graus. Christian Hosoi conheceu o Brasil pela primeira vez na década de 80 e se apaixonou. Chegou a criar o “Christ Air”, em homenagem ao Cristo Redentor, cartão-postal carioca. De lá para cá, muitos saltos e quedas. Foi ao fundo do poço: cinco anos preso por tráfico de drogas. Hoje, aos 41, ele está de volta a São Paulo. Será um dos juízes da MegaRampa, neste fim de semana, assim como seu antigo parceiro Steve Caballero.

Hosoi tornou-se skatista profissional ao 13 anos. Aos 17, já tinha sua própria marca. Travou duelos históricos com Tony Hawk. No ano 2000, porém, veio seu maior tombo. Foi preso quando tentava embarcar para o Havaí portando drogas. Condenado a dez anos de prisão, teve a pena reduzida pela metade. Conseguiu deixar o vício, converteu-se ao cristianismo e voltou às pistas. No ano passado, contou sua história em um documentário.

- Por dez anos estive afogado nas drogas e, durante cinco, fiquei preso. Se nada disso tivesse acontecido, já teria voltado ao Brasil. Hoje estou livre disso. Deus me deu mais uma chance. É uma benção estar aqui. Eu amo o Brasil. Não consigo explicar como é bom saber que sou reconhecido pelo que já fiz. E ainda faço parte disso, é a minha vida.

O americano foi um símbolo da década de 80, a chamada “década perdida”. Não para o skate. Os anos 80 foram marcantes na história da modalidade. E Hosoi era dono de um estilo único, que sintetizava a essência da tábua sobre as quatro rodinhas. Nesta quinta-feira, ele pôde comprovar como ainda é querido pelo público brasileiro. Assistindo aos treinos da MegaRampa, declarou o amor pelo país, recebeu aplausos e deu autógrafos a fãs.

- É uma honra poder estar aqui novamente e um privilégio ser juiz com esses caras. Estou impressionado com essa MegaRampa, o skate está em um nível altíssimo, e vai continuar evoluindo, assim como as competições de BMX.

Retirado de GloboEsporte.com