quarta-feira, 13 de maio de 2009

Brum revela sonho que teve com Ronaldo

Volante explica que conversou com o Fenômeno durante a final do Paulista. No papo, disse ao craque que recebeu de Deus a missão de convertê-lo.

O volante Roberto Brum, do Santos, comemora o fato de, finalmente, ter conseguido encontrar Ronaldo, do Corinthians, para contar o sonho que teve com o Fenômeno. Desde o início do ano, Brum fala sobre esse sonho, mas vinha se recusando a contá-lo, pois queria revelá-lo, em primeira mão, ao craque corintiano. O santista conseguiu isso durante o segundo jogo da final do Paulistão, no Pacaembu.

Durante a partida, houve um momento de paralisação para que uma bola murcha fosse trocada. Então, Brum chegou perto de Ronaldo. Primeiro, o santista quis saber se o Fenômeno havia recebido um CD de pagode gospel que ele havia lhe enviado. No primeiro jogo entre Peixe e Timão no ano, na fase de classificação do estadual, Brum, que ficou no banco, pediu para Lucio Flavio entregar a Ronaldo um disco do grupo Pra God. No papo com o craque dentro do campo, já na final, o santista quis saber se Ronaldo estava gostando das músicas. Em seguida, contou-lhe o sonho, por meio do qual, teria recebido de Deus a missão de converter o camisa 9.

- Ele disse que estava ouvindo o CD e deu um sorriso, aquele sorrisinho bonito do Ronaldo. No sonho, eu ia no Corinthians com a missão de falar sobre o amor de Deus para ele. Quando eu cheguei lá, encontrei o Ronaldo dançando o samba do CD que queria dar para ele. Um pagode de louvor do grupo Pra God. Quando eu vi isso, fiquei feliz, pois soube naquele momento que Deus já havia tocado o coração dele - comenta Brum, com seu estilo sempre eloquente.

Fonte : G1

Ps:. Já havia falado de Brum aqui na Folha Cristã e volto a falar. Muitas pessoas da imprensa acham que Brum não passa de um mero jogador, mas eu(saymon) particularmente fico surpreso por suas atitudes dentro do futebol. Espero que Deus continue abençoando esse servo.Paz !

Importante ponto histórico e religioso, Rio Jordão corre o risco de desaparecer


Um pequeno riacho separa uma plataforma (usada por turistas que visitam a Jordânia) de uma construção imponente e nova com uma grande bandeira de Israel tremulando ao alto. Apesar de estar cada vez mais reduzido e de parecer um córrego de menos de três metros de largura em alguns pontos, o Rio Jordão separa os dois países do Oriente Médio, e tem importância estratégica, religiosa e histórica para ambos os lados.

Tanto que o local foi ponto de visita do Papa Bento XVI, que encerrou neste domingo (10) a primeira parte da sua primeira visita ao Oriente Médio visitando o local reconhecido pelo Vaticano como ponto de batismo de Jesus, no rio Jordão. O ponto exato onde Jesus teria sido batizado, entretanto, não fica mais exatamente no rio, mas um pouco ao lado, numa área que atualmente é seca, e que tinha uma grande poça de água de chuva sendo drenada quando o G1 visitou o local, na última quinta-feira (7).

Na beira do rio, em uma pequena construção guardada por soldados dos dois lados da fronteira, há uma pequeno recipiente em que a água pode ser recolhida pelos visitantes. Caso prefira, também se pode recolher água direto do pequeno rio, descendo até ele. Visitantes mais relilgiosos podem ir além, e repetir o ritual do batismo mergulhando por completo no rio. Quando o G1 estava no local, um pequeno grupo de cristãos ortodoxos fizeram o ritual, considerado purificador.

O rio que já foi navegável perdeu sua força e foi diminuindo por uma série de fatores, alguns naturais, como o aquecimento global, e outros humanos, por conta de desvios em suas partes e de outros rios ligados a ele. Hoje tem seu valor histórico, mas chega a correr o risco de desaparecer completamente em poucas décadas.

Interessado no atrativo para o turismo religioso, o governo jordaniano está discutindo investimentos para evitar que ele continue a diminuir. Junto à Igreja, a Jordânia está organizando algumas mudanças no local, incluindo a construção de duas igrejas cristãs, que vão valorizar a importância sagrada do local.

Fonte: G1